Aproxima-se a chegada de um novo membro na família. A partir de agora, são 40 semanas até o grande dia… E 9 meses planejando como será o quarto do bebê!

Com inúmeras possibilidades, atualmente não faltam opções capazes de atender todos os gostos e estilos. Uns preferem montar o aposento por tema, enquanto outros escolhem os objetos decorativos segundo uma paleta de cores. Seja qual for a inspiração para o quarto do bebê, é sempre vantajoso que ele seja prático, bonito e econômico.

Neste post, apresentaremos um quarto de bebê inspirado por um conjunto de teorias pedagógicas: o Método Montessori. Embora exista há muito tempo, essa metodologia foi recuperada nos últimos anos por pedagogos, pais e pessoas interessadas em oferecer educação psicomotora de qualidade para os pequeninos.

Uma opção muito bacana para quem busca um quarto não apenas bonito, mas voltado para o desenvolvimento do bebê. Acompanhe abaixo tudo que é preciso para dar à luz ao quarto montessoriano!

O espaço inteligente

Muitos pais se perguntam o que é mais importante ao se montar um quarto de bebê. Antigamente, apenas aspectos estéticos eram levados em conta, originando quartos que correspondiam ao estilo dos pais, no entanto não eram tão atrativos nem confortáveis para as crianças.

Com o passar do tempo, as pessoas foram percebendo que pequenas adaptações melhoravam o bem-estar da criança, estimulando também o desenvolvimento da cognição, das funções motoras e da criatividade.

A construção de um espaço inteligente foi sendo, passo a passo, incorporado pelas famílias, resultando em quartos funcionais e bonitos, onde desde muito cedo os pequenos possam se sentir à vontade.

O método montessoriano

No começo do século XXI, a pedagoga italiana Maria Montessori idealizou um compilado de técnicas, práticas e materiais que colocavam em foco a questão da autonomia e desenvolvimento motor infantil — sempre estimulados de modo seguro e assistido.

Segundo a linha pedagógica montessorianaa educação deve basear-se na evolução da criança, e não o contrário. Assim, faz-se necessário o contato com materiais didáticos e móveis adaptados, visando impulsionar o autoconhecimento natural em todo indivíduo.

Todos os aspectos colaborativos entre adultos e crianças devem ser valorizados, inclusive no ambiente. Seja na escola ou em casa, os espaços que dialogam com a proposta de Montessori refletem os pilares do método, que passam pela autoeducação, o ambiente preparado e a criança em contato consigo mesma.

Os móveis do quarto do bebê

O quarto montessoriano, popularizado nos últimos anos, aplica as ideias do método para a composição de um espaço adequado aos filhotes. O importante nesse método é confiar na criança, adequando o ambiente para acompanhar sua evolução educacional. Com poucos móveis, o quarto engloba apenas o essencial, privilegiando materiais leves e resistentes.

Os objetos devem sempre permanecer na altura dos olhos e das mãos da criança, para que ela possa desenvolver a questão da autonomia e da organização. Por isso, módulos e estantes baixas são ótimos móveis para essas funções.

Uma mesinha e uma cadeira permitem que a criança desenvolva no seu quarto, desde cedo, o desempenho das funções cotidianas e de lazer. Ela pode servir tanto para desenhar e brincar de massinha quanto para ajudar na organização, na apreciação de livros e em outras tarefas.

Para quartos maiores, um pequeno armário de proporções infantis é uma ótima pedida. Nele podem estar roupas, sapatos e acessórios de higiene, por exemplo. Com esse móvel, a criança aprende a definir e tomar conta do seu próprio espaço.

A cama no chão

O primeiro diferencial percebido ao adentrar um quarto montessoriano, para muitos, talvez seja a “cama no chão”. Por meio de pequenas estruturas, como camas japonesas, ou mesmo o próprio colchão em cima de um tapete, este tipo de composição permite que a criança desenvolva autonomia sobre seu espaço.

A cama no chão proporciona muito mais alegria e bem-estar, pois os bebês sentem-se livres e estimulados a explorar o espaço visual. Em um ambiente cercado por barras, como no caso dos berços, os mini-exploradores têm sua visão limitada, sentindo-se confinados.

Camas baixas são também aconchegantes e agradáveis, sendo que a pequena distância relativa até o chão evita que acidentes sérios aconteçam. No caso dos bebês mais novinhos, almofadas criam o aparato necessário para se proteger do solo.

O piso, é claro, deve estar coberto por um tapete antialérgico, preparado para receber os suaves passos do mais recém-chegado dono do quarto.

Os acessórios diferentes

O quarto montessoriano também está nos detalhes. Acessórios são pensados e utilizados para estimular as crianças, como é o exemplo da barra de balé. Instalar uma pequena barra perto da cama auxilia em muito a fase do bebê ficar de pé.

O espelho é outro recurso que introduz percepções valorosas. Por meio do reflexo, o bebê reconhece a si mesmo e também diferencia os outros. A peça deve ser posicionada na altura do bebê, e o material indicado é o acrílico devido à segurança.

Cestas e caixas servem para guardar livros, brinquedos e objetos pessoais. Eles são bons porque pode ter o seu conteúdo modificado de acordo com a fase da criança. Há modelos com rodinhas que permite levar o cantinho da criança para outros espaços da casa.

O estímulo com segurança

Com tantos aparatos interessantes, os pais e responsáveis podem mostrar-se apreensivos, pensando se esse ambiente tão estimulante não seria perigoso para os bebês, principalmente em termos de quedas e de circulação.

Porém, medidas pontuais previnem que acidentes possam comprometer a saúde dos bebês. O tapete é muito importante no quarto montessoriano, pois permite que a criança brinque em solo sem ter contato direto com o chão. Para isso, um modelo de fácil lavagem é essencial. Em alguns casos, os pais também optam pelos tapetes emborrachados, mais conhecidos como EVA.

E lembre-se sempre do princípio de autoeducação: pormenores fazem mesmo parte do processo! A criança precisa explorar sua própria forma corpórea, seu modo de movimentar e de segurar objetos, à fim de construir um desenvolvimento pleno.

A personalização do quarto do bebê

Com tantas opções apresentadas pelo quarto montessoriano, fica fácil fazer um do seu jeito. Escolha os adereços e os objetos que mais representam o estilo da casa e também os que trazem a sensação de carinho e de aconchego.

Já conhecia essa interessante apropriação da decoração inspirada no método Montessori? Pensa em usá-la para montar o quarto do bebê? Deixe um comentário e conte para a gente o que você achou dessa ideia!