Escolher acabamentos é a melhor parte da obra, pois é nessa hora que a casa vai ganhando aspecto de lar. Pensar no piso do banheiro, no revestimento da cozinha, na pintura da sala etc. Tudo isso requer muito mais do que inspiração e bom-gosto. Para além da estética dos acabamentos, é preciso priorizar também a qualidade e a funcionalidade das instalações.

Afinal, de nada adianta escolher o piso mais bonito da loja se ele não for prático e resistente o bastante, concorda? Do mesmo modo, não dá para escolher tintas de qualidade inferior e precisar repintar a parede desgastada já nos primeiros meses de casa nova.

Para evitar armadilhas, fizemos este post com 6 dicas essenciais que vão ajudar a escolher acabamentos com o melhor custo-benefício. Acompanhe!

1. Faça um planejamento detalhado

Se você está na fase de acabamentos da obra, é certo que já gastou um bom dinheiro com as etapas iniciais da estrutura e pode ser que o orçamento esteja mais apertado. Por isso é importante fazer um planejamento detalhado ainda no início da construção, determinando o orçamento disponível para cada etapa, do levantamento das paredes à decoração da casa.

Se você pecou nesse planejamento inicial, não cometa o mesmo erro duas vezes. Tenha paciência e não aja por impulso. Faça uma lista detalhada antes de escolher acabamentos e coloque na ponta do lápis tudo o que pretende (e pode) gastar. Assim, além de saber quais são as prioridades do seu projeto, vai ficar mais fácil negociar os preços na hora das compras.

2. Escolha marcas de qualidade

Veja bem, negociar os preços não significa optar pelo mais barato. Até porque dependendo da situação, o barato pode sair caro no futuro, exigindo retrabalho ou causando prejuízo por causa de materiais mal escolhidos. Isso sem falar na segurança da obra, que também pode ficar comprometida se você optar por produtos duvidosos.

Para não correr o risco, escolha sempre marcas de qualidade e compre os produtos de construção em lojas especializadas no ramo, que ofereçam material de primeira linha e garantia de origem. Pesquise os preços e fique de olho nas promoções, pois muitos estabelecimentos oferecem descontos se você levar um grande volume de material ou pagar à vista.

3. Priorize o custo-benefício das instalações

Quando for escolher acabamentos para a sua casa, tenha em mente a seguinte palavra: custo-benefício. Como dissemos, não adianta escolher peças apenas pela questão estética. Pisos, bancadas, louças sanitárias, revestimento de madeira etc. devem ser, antes de tudo, duradouros, funcionais e seguros.

Com todas essas características, é natural que o valor seja um pouco mais elevado, mas aqui você não deve focar no preço em si e sim naquilo que o produto oferece. É um material de primeira linha? É um produto de alto padrão? A qualidade e a procedência são garantidas? Atende às suas expectativas? Em qualquer um desses casos, com certeza o custo-benefício compensa o valor investido.

4. Alinhe estética e funcionalidade

Você escolheu o piso mais sofisticado da loja e só depois percebeu que ele não é seguro o bastante para o chão ou o revestimento do banheiro? Pois é. Esse é um erro muito comum quando se trata de escolher acabamentos da obra. Muitas vezes deixamos nossas inspirações falarem mais alto e nos esquecemos de avaliar a funcionalidade de cada produto.

Em banheiros e lavabos, por exemplo, os pisos devem ser obrigatoriamente antiderrapantes. Depois de escolher o modelo adequado, aí sim você pode pensar na estética da peça, priorizando seu gosto. O mesmo vale para as louças sanitárias, que precisam ser de material resistente à umidade.

Na cozinha, preste muita atenção quando for escolher a pia e as bancadas. Materiais como mármore e granito, apesar de mais caros, são as melhores escolhas, pois além de sofisticados são muito resistentes e duradouros. Mandou fazer armários planejados? Então cuide para que todas as prateleiras, dobradiças e maçanetas estejam em perfeito estado de uso.

5. Dê atenção especial aos pisos e revestimentos

Pisos e revestimentos encabeçam a lista de materiais de construção quando vamos escolher acabamentos. E não é para menos, já que um piso ou revestimento mal escolhido é a primeira coisa a dar sinal de desgaste no imóvel. Por isso, a qualidade deve sempre falar mais alto.

Porcelanato, laminado e cerâmica são excelentes escolhas para a casa. Os porcelanatos, por exemplo, são opções curinga, principalmente para pisos e paredes de cozinhas e banheiros. Bonitos, resistentes e muito fáceis de limpar, eles apresentam ótimo custo-benefício no mercado. Além disso, estão disponíveis em diversas cores, texturas e padrões para combinar com o seu estilo de decoração.

Antes de ir às lojas, tire as medidas exatas dos cômodos para comprar a quantidade certa de material e evitar desperdício. No caso dessas peças, é indicado adquirir uma quantidade um pouco maior do que a metragem do ambiente. Dessa forma, se acontecer algum imprevisto, como o piso quebrar ou trincar, será possível repor.

Lembre-se também de guardar alguma embalagem do produto com o lote da fabricação. Assim, se precisar retornar à loja para comprar mais quantidade, saberá exatamente qual produto levar. Parece bobagem, mas isso faz diferença considerando que algumas tonalidades de pisos, azulejos ou pastilhas são tão parecidas que acabam gerando confusão.

6. Fique atento à ordem de instalação

Finalmente você chegou à fase final da obra: escolher acabamentos. Mas é importante saber que essa etapa também tem divisões. Não dá para sair instalando tudo sem critério, ok? É fundamental seguir uma ordem lógica de instalação para que um serviço não comprometa outro e o resultado seja o melhor possível.

O ideal é começar assentando os pisos e revestimentos. Em seguida, é feita a instalação do forro. Se você for colocar gesso ou moldura, não se esqueça de proteger muito bem o piso antes desse serviço. Outra sugestão é revestir as paredes, colocar o gesso e, só então, assentar os pisos. Portas, janelas e bancadas vêm em seguida, respeitando-se as orientações do fabricante para a colocação correta.

Os detalhes ficam por último, como a instalação de móveis planejados e de louças sanitárias. Por mais que você já tenha comprado essas peças, tenha paciência e aguarde o momento certo da instalação. Caso contrário, corre o risco de danificá-las com ferramentas em uso ou até mesmo com o tráfego de pedreiros no local.

Agora falta pouco! Depois de tudo instalado, é hora da pintar as paredes, o último detalhe de acabamento. Além de escolher uma tinta de qualidade, siga atentamente as instruções do fabricante, respeitando o tempo de secagem e guardando as latas de maneira correta.

Com essas dicas, não tem mais mistério para escolher os acabamentos certos. Faça suas compras em lojas confiáveis e conte com mão de obra especializada para garantir um serviço caprichado.

Ficou inspirado? Então aproveite e entre em contato com a Cristiano Casa e Construções, referência no mercado de acabamentos!