A história se repete todos os anos: com a chegada do calor, aumentam os casos de dengue, zika e chikungunya em todo país. O clima tropical, caracterizado por altas temperaturas e umidade elevada, é o preferido do inseto transmissor. Por isso, aprender a combater o mosquito da dengue é essencial para que possamos nos ver livres de tais doenças.

Apesar da principal medida ser evitar o acúmulo de água limpa e parada para diminuir a quantidade de mosquitos, existem outras ações que podem ser tomadas para evitar o problema.

Quer saber mais sobre o assunto? Continue a leitura e confira nossas dicas para evitar a proliferação desse inseto e mantê-lo bem longe de sua casa!

O que são dengue, zika e chikungunya?

São doenças virais cuja transmissão é dada por meio da picada de um mosquito contaminado. As três enfermidades são bastante parecidas e facilmente confundidas entre si. Na maior parte das vezes, os sintomas apresentados são semelhantes aos de uma gripe comum e incluem:

  • dores de cabeça;
  • febre alta e persistente;
  • manchas avermelhadas pelo corpo;
  • coceira;
  • dores musculares e nas articulações.

No entanto, algumas diferenças podem nos ajudar a diferenciar os problemas. No caso da dengue, por exemplo, há dores concentradas na região dos olhos e a febre tem maior duração. Além disso, existe o risco da evolução para a forma hemorrágica, que traz grandes riscos de morte. 

A zika traz sintomas um pouco mais leves, com exceção da coceira, que é muito mais intensa. Há também, em muitos pacientes, a presença de conjuntivite (sintoma também presente nos casos de chikungunya). Seu maior risco envolve acometimentos neurológicos, como a síndrome de Guillain-Barré e a microcefalia em fetos.

Por fim, temos a chikungunya, cujo diferencial está nas dores intensas nas articulações, que podem durar vários e vários meses. Além disso, há um inchaço característico nas áreas afetadas.

Qual é o mosquito transmissor?

O causador de todo esse problema é um inseto conhecido como aedes aegypti. Ele possui coloração preta com pintas brancas e, como se não bastasse, é também o responsável pela transmissão da febre amarela. Além dele, podemos citar o aedes albopictus, transmissor em áreas florestais e pouco comum no meio urbano.

Seu ciclo de vida é relativamente curto (30 dias), mas bastante frutífero: a fêmea pode dar à luz a até 200 mosquitinhos durante esse período. Apesar de serem parecidos com pernilongos comuns, esses insetos têm hábitos diurnos e quase não fazem barulho.

Como combater o mosquito da dengue?

Utilize telas mosquiteiros

Fáceis de colocar, as telas mosquiteiros podem ser colocadas em qualquer entrada, como portas e janelas. Além de evitar o mosquito da dengue, o produto impede a entrada de outros animais indesejáveis sem prejudicar a circulação do ar, deixando a casa sempre fresquinha.

Considere o uso de repelentes

Além de passar repelentes na pele, é possível utilizar aparelhos que são encaixados nas tomadas e liberam substâncias na forma de vapor. O produto químico, chamado de piretróide, faz com que os mosquitos fiquem fracos e tontos e fujam.

Use ventiladores ou ar-condicionado

Você provavelmente já notou que o número de mosquitos cresce conforme o calor do ambiente. Por isso, utilizar meios de refrigeração artificial, como os ventiladores, pode ser uma maneira de afastá-los de sua casa.

Cultive plantas

Além de serem elementos decorativos que embelezam qualquer ambiente, algumas plantas possuem substâncias capazes de afastar o mosquito. Ótimas opções são: citronela, erva-cidreira, lavanda e crisântemo. Só não se esqueça de colocar areia nos vasinhos das plantas para não ser um foco de reprodução dos mosquitos!

Combata o foco do problema

Evite criar focos de água parada, limpe constantemente os vasos das plantas e tome cuidado extra durante o período de chuvas. Outros lugares que devem ser checados são a caixa d’água e calhas. Se possível, tente engajar a vizinhança nessa luta!

Combater o mosquito da dengue não é tarefa fácil e por isso devemos tomar atitudes para resolver essa questão. Com a união de toda a população e a execução de medidas como as citadas acima, diminuir a incidência dessas doenças fica muito mais simples!

Faça a sua parte e compartilhe este post em suas redes sociais para que mais pessoas saibam como manter esse problema bem longe!