Por mais que a gente planeje, a sobra de material de construção é um fator muito comum na hora da reforma  principalmente se ocorrerem mudanças radicais no projeto inicial da obra. Contudo, não podemos negar que a quantidade de material excedente está, sim, diretamente relacionada ao planejamento da reforma ou construção.

Obras supervisionadas por engenheiros e arquitetos, por exemplo, têm consideravelmente menos chances de gerar materiais excedentes. Isso porque esses profissionais sabem calcular com muito mais precisão tudo o que será necessário para o projeto. Ainda assim, existe uma margem de sobra.

Por outro lado, se você realizou a obra por conta própria, é comum e até perdoável que tenha sobrado uma quantidade considerável de material. Nessas situações, o que não tem perdão é desperdiçar os itens ou fazer o descarte incorreto. Para não pesar no bolso nem na consciência, veja, a seguir, cinco formas de reaproveitar os materiais.

1. Guarde o material para reparos futuros

Tubos e revestimentos são exemplos típicos de coisas que, inevitavelmente, vão sobrar após o término da obra. Nesses casos, o melhor a fazer é guardá-los para manutenções e reparos futuros. Afinal, quem nunca precisou trocar parte do encanamento, renovar a pintura ou recolocar algum piso?

2. Aproveite para utilizar os materiais na decoração

Essa dica é válida especialmente para quem acabou de construir e precisou encurtar o orçamento no décor. E, como a decoração está diretamente ligada à criatividade, essa é a hora de unir o útil ao agradável e reaproveitar a sobra de materiais para criar peças decorativas. Blocos de concreto ou de tijolos, tubos de PVC, telhas… Tudo isso pode ser aproveitado. Quer ver?

Por exemplo: você pode utilizar as telhas para criar prateleiras superestilosas e originais. Já com os blocos e tubos, é possível criar lindos suportes para as plantas do seu jardim. Ou melhor ainda: se você levar jeito para a coisa, poderá transformá-los em móveis rústicos e personalizados para a sua casa, como mesinhas, aparadores ou criados-mudos. Fica um charme!

3. Renegocie com a loja o material que sobrou

Nem todas as lojas oferecem essa possibilidade, mas não custa nada tentar, não é mesmo? Ficar com material parado dentro de casa, isso sim é custoso! Mas atenção: se essa for mesmo a ideia, saiba que certos materiais devem estar obrigatoriamente fechados em sua embalagem original, pois exigem cuidados específicos de manuseio, como os componentes da instalação elétrica. O mesmo vale para sacos de cimento e de areia, de modo a preservar as características e a validade dos materiais.

4. Considere vender os itens excedentes

Caso não dê para renegociá-los com a loja em questão, você pode tentar a revenda diretamente com pessoas interessadas. Mas nem precisamos dizer que o preço cobrado deverá ser abaixo do valor de mercado, certo? Avise aos amigos, vizinhos, funcionários do prédio… Pode ser que algum deles também esteja construindo no momento!

Além disso, nesses casos, os itens também devem estar em pacotes fechados. Afinal, mesmo sabendo de sua honestidade, essa é a única maneira de o consumidor garantir a procedência dos materiais.

5. Doe a sobra de material de construção para instituições

Existem várias instituições filantrópicas que dependem basicamente de doações para desenvolver suas atividades, como construção de abrigos, creches, áreas de lazer, centros esportivos, entre outros projetos humanitários. Qualquer quantidade de material será útil nessas situações. Até porque, se cada um doar um pouquinho, o montante final poderá ser muito satisfatório.

Isso sem falar que, dentre todas as dicas da lista, esta é a com que você conseguirá aplicar a sustentabilidade em grau máximo, evitando o desperdício e preocupando-se de fato com o meio ambiente e a humanidade.

Descarte correto

Ainda que o reaproveitamento seja sempre a melhor solução, sabemos que alguns materiais de construção infelizmente não podem ser reutilizados, seja por perderem sua funcionalidade, seja porque tiveram suas propriedades ou validade comprometidas após abertos.

Telhas de amianto, box de banheiro e peças de vidro são alguns exemplos clássicos de materiais que não devem ser reutilizados. Esse tipo de resíduo é classificado como lixo especial e, via de regra, deve retornar a seus respectivos fabricantes para que receba tratamento e destinação adequados.

Essa é a maneira mais eficaz e responsável para garantir que tais resíduos não causarão impactos ambientais diversos, sobretudo relacionados à contaminação do solo e da água e à consequente desestabilização dos ecossistemas naturais.

Em seguida, listamos como deve ser feito o descarte da sobra dos principais materiais de construção. Vamos lá!

Madeira

Quando falamos em entulhos de construção, a madeira pode ser considerada o mais proveitoso deles. Isso porque esse tipo de material se destina a várias finalidades, principalmente relacionadas à carpintaria e à marcenaria.

Sendo assim, se você não vai reutilizá-las por conta própria, destine as sobras para indústrias especializadas em processamento de madeira. Nesses locais, o material receberá o devido tratamento e cuidado, podendo, então, ser reutilizado para novos fins.

O principal entrave nesse processo é quando a madeira está pintada, o que pode dificultar o reúso do material, pois o processo de reciclagem costuma ser mais complexo e custoso. Nessas situações, a utilização mais comum das madeiras de entulho é para queima em fogões a lenha.

Tinta

Descartar as sobras de tinta utilizadas na pintura é algo mais complicado, já que elas demandam locais de reciclagem autorizada. Por isso, o melhor a se fazer nesse caso é doar a tinta excedente para alguma instituição ou guardá-la para utilizar em reparos ou obras futuras, observando-se o prazo de validade.

Quanto às latas vazias, o descarte é bem mais simples. Basta destiná-las a cooperativas de catadores de material reciclável ou até mesmo empresas de sucatas, pois as feitas de aço podem ser 100% reaproveitadas.

Gesso e outros materiais

Gesso, tecidos, papéis e pedras rochosas também podem ser destinados a indústrias especializadas para que sejam devidamente reaproveitados em outras funcionalidades. Quanto aos resíduos de gesso, evite misturá-los com quaisquer materiais úmidos, pois, caso derretam, poderão comprometer por completo a estrutura onde foram depositados.

E não se esqueça: para aqueles resíduos destinados à coleta urbana, você deverá fazer o aluguel de caçambas em empresas regulamentadas pela prefeitura da sua cidade. Só assim você terá a garantia de que os entulhos foram descartados de forma correta e poderá ficar com a consciência tranquila.

Agora que você já sabe exatamente o que fazer com a sobra de material de construção, compartilhe o post nas suas redes sociais e ensine mais gente a reutilizar as sobras de forma prática e ecologicamente correta!