Quem não tem teto de vidro, que acerte o tipo de telha!

Tudo bem, a gente sabe que a frase original soa um pouco diferente. Mas também é fato que, em reformas e construções, algumas etapas são objetivas e nenhum detalhe pode passar despercebido. Um belo exemplo é o telhado da obra! Não é à toa que existem diversos tipos de telha disponíveis no mercado, de modo que você encontre aquele que melhor atende ao padrão de qualidade e de segurança do seu projeto.

Considerar a inclinação do telhado, por exemplo, é fundamental na hora de optar pelo tipo de telha correto, evitando estresse e prejuízo com quedas ou outros reparos. Para você acertar na escolha, fizemos este post com os principais tipos de telha disponíveis e os fatores a se considerar no momento da compra. Vamos lá!

Quais são os principais tipos de telha?

Conheça os modelos mais comuns encontrados no mercado especializado.

Telha de cerâmica

As telhas de cerâmica ou barro são os tipos mais utilizados em projetos residenciais. As vantagens são diversas, desde a estética da composição ao conforto térmico que o material proporciona. Além disso, são muito eficientes no que diz respeito à vedação do telhado, requisito básico em qualquer projeto de cobertura.

Entre as telhas de cerâmica, existem os modelos naturais — sem revestimento algum — e aquelas que vêm com revestimento sintético de fábrica (esmaltadas), as quais são mais indicadas por apresentarem vida útil maior. Quanto ao design da peça, os modelos cerâmicos variam em subgrupos de diferentes características. Conheça os principais:

  • telha colonial: tem design simples, é de fácil instalação e apresenta ótima vazão para águas pluviais,

  • telha portuguesa: tem design moderno, é uma evolução da telha colonial e permite maior estabilidade sobre o ripamento;

  • telha romana: tem design sofisticado, é uma variação da telha colonial e permite maior estabilidade sobre o ripamento;

  • telha americana: tem design sofisticado, apresenta encaixe moderno e permite maior estabilidade sobre o ripamento;

  • telha francesa: tem design plano; exige inclinação aumentada e demanda maior estrutura para ripamento;

  • telha italiana: design sofisticado; dispensa o uso de argamassa e favorece o conforto térmico.

Telha esmaltada

Como já adiantamos no tópico anterior, a telha esmaltada nada mais é do que uma variação da telha de cerâmica convencional, porém com a adição de uma camada colorida denominada vítrea. Esse processo possibilita criar uma extensa gama de cores para as telhas, tornando-as mais versáteis para harmonizar com o décor.

Esse tipo de telha é muito utilizado em projetos de teto sem forro, ou seja, em que as telhas ficarão visíveis da parte interna da casa. Desse modo, dá para combinar o lado interno do décor com a fachada da residência. No entanto, vale lembrar que as telhas esmaltadas têm preço mais elevado se comparadas às cerâmicas convencionais.

Se formos pensar em termos de custo-benefício, o resultado compensa. Afinal, além da questão estética, a camada de esmalte deixa a telha mais impermeável, diminuindo consideravelmente a possibilidade de infiltrações no telhado, além do surgimento de mofo e bolor.

Telha de concreto

As telhas de concreto apresentam ótima durabilidade e conforto térmico, além de necessitar de menos madeiramento na estrutura, características estas que aumentam sua procura no mercado. O ponto negativo fica por conta da manutenção e limpeza, que deverão ser mais criteriosas.

Recomenda-se limpar um telhado de concreto pelo menos uma vez por ano. Isso porque as telhas são mais porosas e, consequentemente, estão mais suscetíveis aos danos causados pelas intempéries climáticas, como a umidade. Inclusive, as telhas de concreto não costumam vir com cobertura esmaltada. Portanto, é essencial impermeabilizá-las com resina específica antes da instalação.

Telha de amianto (fibrocimento)

A telha de amianto, atualmente conhecida como fibrocimento, é muito famosa por seu baixo custo, configurando-se a opção mais econômica para edificações mais simples, como coberturas de baixa inclinação — respeitando-se o mínimo de 15%. Vale lembrar que o fibrocimento surgiu para substituir o amianto, devido aos pressupostos de que seu uso faria mal à saúde.

A desvantagem das telhas de fibrocimento é que não são tão resistentes, além de pecarem no quesito conforto térmico. Em regiões litorâneas, por exemplo, seu uso não é indicado, pois poderá deixar o ambiente interno muito aquecido, a menos que seja construído um forro ou uma laje.

Por outro lado, elas são muito utilizadas em projetos comerciais e industriais, principalmente em prédios de parapeito alto, em que não é possível enxergar o telhado em si. São telhas leves e, por isso, não demandam gastos extras com estrutura de sustentação reforçada.

Telha metálica

A telha metálica é muito escolhida para projetos em que a intenção é cobrir grandes vãos de telhado (como em um galpão), já que uma única telha chega a ter até quatro metros de comprimento. Resistentes e leves, elas são comercializadas em folhas e podem ser feitas de aço, cobre, alumínio ou uma liga de metais. Para a instalação, são necessários fixadores, que poderão ou não ficar à mostra. A desvantagem é que, em alguns casos, não apresentam bom conforto térmico.

Telha ecológica

Assim como o telhado verde, a opção por telha ecológica também é destaque nos projetos de arquitetura sustentável. Muito procuradas hoje em dia, as telhas ecológicas são fabricadas em fibras naturais recicladas, sem abrir mão da qualidade dos outros materiais. O processo de produção engloba a reciclagem de fibras de madeira, sisal, bananeira ou coco, em que é adicionado betume, pigmentos e resinas específicas para proteger a telha contra os raios UV e também das intempéries climáticas.

Assim como o fibrocimento, as telhas ecológicas surgiram como uma alternativa para substituir o amianto, porém de maneira sustentável e com mais qualidade no quesito conforto térmico.

Como escolher o tipo de telha ideal para a minha casa?

Além da resistência do material e do conforto térmico que proporciona, também é obrigatório considerar mais dois aspectos na hora de escolher o tipo de telha ideal para sua obra. Acompanhe!

Inclinação do telhado

Esse é o ponto-chave para se observar antes de escolher a telha para o projeto. Portanto, nada de comprar o material antes de a edificação ficar pronta, pois a cobertura deverá ser planejada conforme a inclinação da obra. Os próprios fabricantes de telha também se responsabilizam por indicar, em seus produtos, a inclinação ideal para o uso da telha em questão.

Isso é o que vai garantir a segurança do telhado e o maior conforto térmico possível, evitando a queda de telhas por ação do vento ou o calor excessivo no interior do imóvel. Então, antes de ir às compras, certifique-se sobre a inclinação do teto com o profissional responsável pela obra. E, só então, escolha a telha compatível com o seu projeto.

Estilo arquitetônico

Além de respeitar a inclinação do telhado, também é importante escolher um tipo de telha que harmonize com o estilo arquitetônico da propriedade. Afinal, estamos falando de uma parte da casa que se impõe na fachada, ou seja, que não passará despercebida, certo?

Com tantas opções disponíveis no mercado, não vai ser difícil encontrar o modelo que mais combine com o padrão do imóvel, basta priorizar quesitos como o formato do telhado, a ondulação da telha, as nuances de cores e a harmonia com os demais acabamentos externos do projeto.

Nesse sentido, deixamos ainda uma última dica: telhas que se assemelham ao tom do barro são verdadeiros curingas para compor qualquer estilo arquitetônico. Outra vantagem é que esse tom, por ser mais escuro, disfarça eventuais sujeiras acumuladas ao longo do tempo. Já as telhas claras são mais difíceis para combinar e manter o aspecto de limpeza, por outro lado, refletem melhor o sol, o que favorece o conforto térmico.

Pronto! Agora que você já conhece as particularidades dos diferentes tipos de telha, basta analisar o padrão da obra e escolher o modelo que melhor atende ao seu gosto e necessidade. Aproveite e entre em contato conosco para fazer sua compra com quem entende do assunto!