Apareceu um pequeno vazamento na torneira da cozinha? Comprou um móvel novo e precisa fazer a montagem? Ou apenas gostaria de recolocar o espelho do quarto em outra parede? Para esses e tantos outros reparos, a solução é bem simples: ter em casa uma caixa de ferramentas completa.

A caixa de ferramentas ideal é aquela que funciona como um kit de sobrevivência para os pequenos reparos e instalações do dia a dia. Algumas ferramentas podem ser úteis até mesmo para situações de emergência, como aquelas em que o reparo demanda serviços profissionais e você precisa improvisar algo até a chegada do técnico.

Foi pensando nessas situações rotineiras que trouxemos este guia com as ferramentas fundamentais que você deve ter em casa, explicando as funcionalidades e principais usos de cada item. Assim, você saberá exatamente como “se virar” em qualquer situação. Acompanhe!

Chaves: mestras do torque

De fenda, de boca, Philips… São tantas as especificações que é comum a gente se confundir com os usos das principais chaves de serviço. Mas, de antemão, já damos a dica: na hora de comprar as chaves para compor sua caixa de ferramentas, tenha em mente o tipo de serviço a ser desempenhado. Isso porque cada tipo de serviço depende não só uma chave específica mas, também, atenção quanto às características da peça.

Por exemplo, quando o reparo vai demandar mais esforço e mais tempo com a ferramenta em mãos, o ideal é que a chave possua alças emborrachadas para tornar a tarefa mais confortável.

Por outro lado, cabos emborrachados não são recomendados caso você for lidar com produtos químicos que possam danificar o material, como óleo, gasolina ou solventes.

Lembre-se também de que, caso a chave seja de material plástico, ela poderá não resistir a golpes de martelo, por exemplo. Então, se a intenção for utilizá-la como uma talhadeira, o ideal é que ela possua alças mais resistentes, como de metal.

Confira, agora, as funções e particularidades de cada chave:

Chave de fenda simples

Chaves de fenda são utilizadas basicamente para apertar e soltar parafusos. O termo “fenda” refere-se à abertura, portanto, esse é um tipo de chave específica para parafusos fendados — os mais comuns, que possuem a superfície rachada.

Essas chaves estão disponíveis em vários tamanhos conforme as medidas dos parafusos a serem utilizados ou a superfície de trabalho.

Chave Philips ou de fenda cruzada

As chaves de fenda cruzada são mais conhecidas como chave Philips e seguem praticamente o mesmo conceito das chaves de fenda convencionais. A diferença, neste caso, é que a ponta Philips é em formato de cruz, o que a torna específica para parafusos de superfície igualmente cruzada.

Outra diferença é que as chaves de fenda simples são recomendadas para trabalhos que exigem mais força, enquanto a Phillips é indicada em tarefas mais delicadas para não comprometer o parafuso ou a rosca.

Chave Allen, sextavada ou hexagonal

É um tipo de chave utilizada para apertar e soltar parafusos que exigem o emprego de muita força. Em formato de “l”, possui uma ponta hexagonal em cada extremidade e, assim como as chaves Philips, não deve ser utilizada com função de talhadeira ou alavanca.

Chave de boca ou fixa

Esse tipo de chave possui uma ou duas cavidades e é indicado para apertar e soltar parafusos de cabeça sextavada, ou seja, que possuem formato hexagonal.

Chave torx, de estrela ou estria

A chave torx possui ponta em formato de estrela, com seis pontos de apoio para o parafuso. Esse tipo de chave proporciona um aperto mais regular e seguro, sendo recomendado para superfícies de difícil acesso, como peças de automóveis, equipamentos eletrônicos e brinquedos em geral.

Alicates: alavancas da força

Alicates são ferramentas articuladas que servem basicamente para multiplicar a força aplicada em determinada superfície pelo usuário. A peça, geralmente de ferro ou aço, é uma ótima aliada para cortar ou desencapar cabos e fios ou garantir mais firmeza na hora de segurar peças pequenas.

O ideal é ter na caixa de ferramentas um conjunto com vários tamanhos e tipos de alicates. O alicate de bico costuma ser o mais comum, mas você pode precisar de um alicate maior se a intenção for remover pregos, por exemplo.

Furadeira: rotação ao seu favor

Qualquer caixa de ferramentas completa tem que ter furadeira. Afinal, não é todo dia que o vizinho estará em casa para te emprestar a dele, não é mesmo?

Portanto, invista em uma furadeira de qualidade, pois você pode precisar dessa ferramenta com muito mais frequência do que imagina, seja para perfurar paredes de alvenaria, alargar superfícies ou rosquear peças. Existem diversos modelos disponíveis no mercado, e alguns podem até mesmo atuar como parafusadeira.

É importante estar atento ao tipo de função que você quer desempenhar para escolher a opção ideal conforme o impacto, mandril, tipo de giro e potência do aparelho. 

Serras e serrotes: feras do corte

Essas duas ferramentas são indicadas principalmente para o corte de madeiras, mas existem opções específicas para jardinagem, com funções de poda ou corte de galhos, por exemplo.

Na hora da compra, é necessário observar o tipo de corte, afiação e travamento dos dentes conforme o material que será trabalhado, de modo a facilitar o processo. Na dúvida, sempre peça ajuda ao lojista.

Martelo: golpe de energia

Martelos possuem a função básica de golpear objetos. E são considerados a ferramenta mais primitiva da história!

Muito utilizados na carpintaria e indústria pesada, a ferramenta é feita de metal e possui cabo funcional para bater, quebrar, cravar ou retirar pregos das superfícies. Uma excelente variação dessa ferramenta é o “martelo de orelhas”, modelo que conta com extremidade fendida para arrancar pregos. 

Trena: rainha da precisão

Muitas vezes a trena passa despercebida e só vamos nos lembrar dela na hora de posicionar os móveis novos ou instalar cortinas. Mas saiba que ela é essencial justamente para você não correr o risco de comprar um móvel que não passe pela sua porta ou uma persiana maior que sua janela.

As melhores opções de trena são aquelas que possibilitam ser travadas quando você atinge a medida necessária, garantindo total precisão métrica. Quanto ao comprimento, ele vai depender dos usos que você pretende dar ao instrumento. Uma trena de oito metros, por exemplo, costuma funcionar bem para a maioria dos trabalhos.

Lanterna: aquela luz que faltava

Esse é outro item que só costumamos sentir a falta quando estamos em apuros, não é? Mas, como todo mundo sabe que é melhor prevenir do que remediar, coloque lanterna e pilhas dentro da sua caixa de ferramentas. Ela será muito útil também para facilitar a visão nos trabalhos em superfícies muito minuciosas.

Ferramentas auxiliares para fixação

Quando falamos em fixação, a furadeira é a primeira ferramenta que nos vêm à cabeça. Mas ela sozinha não basta. Se a ideia é fixar prateleiras, quadros, espelhos ou molduras, entre outros objetos, saiba que você também vai precisar de:

Pregos

Tenha uma quantidade considerável de pregos em sua caixa de ferramentas — e lembre-se de que eles devem ser de vários tamanhos.

Parafusos com buchas

Essas peças são essenciais no processo de fixação. A bucha é o componente que será embutido no furo da parede para sustentar os parafusos. Assim como os pregos, é necessário ter buchas e parafusos de vários tamanhos conforme o serviço a ser desempenhado.

Ferramentas auxiliares para consertos

Não importa o quão resistentes sejam as instalações da sua casa: mais cedo ou mais tarde, você precisará de algum desses elementos auxiliares para uma reforma, reparo ou conserto emergencial:

Resina epóxi

É uma massa de ação adesiva potente, utilizada para unir ou reconstruir superfícies e também para preencher ou vedar buracos e fendas. Pode ser utilizada em diversos materiais, como madeira, cerâmica, vidro, plástico, entre outros.

Fita isolante

A fita isolante nada mais é do que uma fita adesiva de maior resistência. Como o próprio nome diz, tem capacidade isolante e é ideal para trabalhos que envolvam fiações elétricas, de modo a prevenir choques ou curtos.

Fita vedante

Conhecida popularmente por veda rosca, a fita vedante é um material resinado bastante estável, capaz de vedar tubulações de líquidos ou gases para conter, por exemplo, aquele pinga-pinga inconveniente da torneira.

Pronto! Agora você já sabe quais são os itens essenciais para uma caixa de ferramentas completa, seja para pequenos reparos ou consertos emergenciais. Mas lembre-se: quando for fazer qualquer tipo de reparo na rede elétrica, como nos chuveiros, desligue a chave geral.

Do mesmo modo, quando o conserto for hidráulico, feche o registro. Além disso, sempre utilize os equipamentos preventivos, como luvas e óculos de proteção e, ao menor sinal de insegurança, procure um profissional habilitado.

Já montou sua caixa de ferramentas? Conta pra gente nos comentários quais itens são indispensáveis no seu kit de sobrevivência doméstica!