As plantas para decoração são o que chamamos de itens funcionais: não só embelezam os ambientes, como também iluminam o espaço, contribuem para deixar a temperatura mais amena e purificam o ar.

Pensando nisso, separamos 10 exemplos de plantas para decoração interna capazes de dar o toque final que seu espaço merece. Afinal, uma casa sem plantas é uma casa sem vida. Confira!

Plantas para decoração: 10 sugestões

1. Lírio-da-paz

Plantas para decoração: quais as melhores?

 

Lírios, em geral, são vegetais delicados, com demandas bem específicas. O lírio-da-paz, no entanto, contraria essa característica de seus parentes, apresentando alta resistência e praticidade.

A planta pode sobreviver em praticamente qualquer espaço, mesmo se a incidência solar for fraquíssima, e você até pode esquecer algumas regas aqui e ali, pois essa espécie necessita de água apenas uma vez por semana.

Os lírios-da-paz crescerão mesmo sob luzes fluorescentes, sendo boas opções para decorar o escritório e até o banheiro.

2. CactoPlantas para decoração: quais as melhores?

Lindos e não exigentes, os cactos são daquelas plantas coringas — combinam com qualquer decoração. Só precisam ser regadas uma vez por semana, durante o crescimento, ou uma vez a cada quinzena, nas estações mais frias.

Essa planta tem uma estética irresistivelmente única, que vai bem em diversos ambientes, desde um espaço retrô até uma pegada mais moderna.

Ótima opção para quem não tem tempo ou jeito para cuidar de plantas, a espécie gosta de muitas horas de luminosidade direta e pouca água. Quanto mais sol seu cacto receber, mais robusto e bonito ele ficará. Quando plantado em vasos, ele estaciona seu crescimento ao perceber que o espaço acabou.

3. Espada-de-São-JorgePlantas para decoração: quais as melhores?

Uma planta de resistência impressionante, capaz de sobreviver em (quase) qualquer condição. A espada-de-são-jorge tem folhas fortes e em formato pontiagudo, adequadas para tolerar a baixa luminosidade. No entanto, prospera melhor sob a luz solar direta ou indireta.

Trata-se de um ótimo exemplo de plantas para decoração interna, pois tem seu desenvolvimento favorável a uma temperatura de 20 a 30º C (temperatura média interna) e deixa qualquer ambiente vistoso.

4. Figueira-Benjamin
Plantas para decoração: quais as melhores?

As pequenas árvores adicionam a quantidade de verde necessária a um cômodo. Elas só exigem regas a cada 4 ou 6 dias e ficam lindas se colocadas na sala, ao lado do sofá ou até mesmo no hall de entrada.

Plante-a em um vaso bem bonito e, se possível, próximo da incidência dos raios solares, virando-a periodicamente para evitar crescimento desproporcional.

5. Babosa
Plantas para decoração: quais as melhores?

Babosa em casa é garantia de medicação natural para pequenos arranhões e queimaduras, além do papel decorativo magnífico para a sala de estar e para o quarto.

Mantenha o vaso perto de uma janela e regue a planta regularmente, permitindo que cerca de 4 centímetros da porção superior do solo fiquem completamente secos entre uma rega e outra. O melhor de tudo é que elas também purificam o ar, contribuindo para a sua qualidade de vida.

6. Suculentas
Plantas para decoração: quais as melhores?

As suculentas são outro exemplo versátil de plantas para decoração. Com suas variadas formas, podem ser plantadas em diversos recipientes, como pequenos vasos de concreto ou cobre e terrários, sendo peças de destaque da sala, da cozinha ou do quarto das crianças.

Elas crescem melhor se expostas à luz intensa (ou até mesmo direta) e resistem bem ao ar seco. Se a plantinha começar a ficar fina ou perder muitas folhas, significa que não está recebendo a quantidade adequada de luz.

Quanto à rega, assim como você deve fazer com a babosa, deixe cerca de 4 centímetros da terra superior bem secos entre uma rega e outra. Por apresentarem raiz, talo ou folhas grossas, conseguem armazenar água durante períodos prolongados.

Por isso, no geral, as suculentas são muito fáceis de cuidar, até porque elas “avisam” quando estão precisando de cuidados. Por exemplo: se você observar que as folhas começaram a murchar, aumente aos poucos a quantidade de água. Em contrapartida, se as folhas da base começarem a apodrecer, é sinal que você deve diminuir a rega.

7. Bambu-da-sorte
Plantas para decoração: quais as melhores?

Se você quer trazer vida para os espaços mais escuros da sua casa, o bambu-da-sorte é a planta ideal. Ela prospera em locais que recebem pouquíssima quantidade de luz e ainda traz uma sensação zen para o ambiente.

A planta é bastante útil para quem tem uma rotina corrida e quer um espaço livre de estresse ao retornar para casa no fim do dia. O bambu-da-sorte deve crescer diretamente na água — que precisa ser trocada a cada duas ou quatro semanas.

8. Costela-de-Adão
Plantas para decoração: quais as melhores?

Não é à toa que essa planta se tornou uma das queridinhas quando o assunto é home décor: com suas folhas exuberantes, encanta qualquer um. A costela-de-adão é ótima para espaços internos que pedem sofisticação e requinte.

São fáceis de cuidar, pois dizem exatamente do que precisam. Caso estejam amareladas, provavelmente estão recebendo muito sol. Se as folhas permanecerem pequenas, será necessário adicionar adubo ao solo… Mas tome cuidado se você tiver animais de estimação em casa: elas podem ser tóxicas para os bichinhos!

9. Lavanda
Plantas para decoração: quais as melhores?

Convencionalmente, essa não é uma planta para decoração de espaços internos devido à sua exigência luminosa, mas um pequeno vaso de lavanda perto de uma janela que receba bastante luz solar vai adicionar cor e frescor ao cômodo, além do doce perfume característico dessa espécie!

As variedades menores são as mais indicadas e ficam lindas na cozinha, na sala de jantar e na lavanderia.

10. Zamioculca
Plantas para decoração: quais as melhores?

Tem uma aparência interessante e folhas verdes (em um tom escuro e bem brilhante). Fica linda em vasos de vidro e combina muito bem com paredes de tons claros. É uma excelente opção para decorar corredores ou outros locais de baixa luminosidade, onde outras espécies dificilmente conseguiriam sobreviver.

A zamioculca não exige tanta manutenção, já que necessita de regas apenas a cada duas semanas. E aqui vai um segredinho dessa espécie: é preferível esquecer uma rega ou outra do que molhá-la em excesso, encharcando-a.

Zamioculcas são tão resistentes, que conseguem se manter vistosas até mesmo em ambientes com ar-condicionado. A única observação acontece se a planta apresentar aspecto deformado: isso quer dizer que é hora de transferi-la para um vaso maior.

Como cuidar bem das suas plantas decorativas

Com essa lista de plantas para decoração, não tem como os ambientes da sua casa passarem despercebidos! Mas atenção: por maior que seja a praticidade que a espécie apresenta, serão necessários cuidados básicos para mantê-la sempre bonita e com vida. Caso contrário, ela perderá todo o potencial decorativo. Em seguida, explicamos todos os critérios que você deve observar. Acompanhe!

Rotina

Observe suas plantas diariamente, seja para contemplá-las, seja para retirar aquelas folhas secas que podem impedir a planta de respirar e de absorver melhor a luz do sol. Certifique-se também de que ela está livre de insetos, como as formigas, que comumente se alimentam das plantas.

E se você notar excesso de folhas secas, saiba que isso pode ser um indicativo de que a planta está recebendo luminosidade demais. Nesse caso, troque-a de lugar e vá testando aos poucos até encontrar o espaço ideal.

Iluminação

Esse é um prerrequisito para qualquer tipo de decoração com plantas. Afinal, como sabemos, as espécies necessitam da luz solar para realizar a fotossíntese, mantendo-se devidamente nutridas.

Entretanto, por mais que a iluminação seja imprescindível para todas elas, a intensidade dessa luz varia bastante de uma espécie para outra. Lírios e espadas-de-são-jorge, por exemplo, demandam baixa luminosidade, assim como as demais espécies reunidas entre as 10 opções que sugerimos acima.

Já as famosas hortênsias são exemplo de espécie que se acomoda melhor nas áreas externas, pois exigem sol diretamente sobre elas. Orquídeas, antúrios e violetas são consideradas espécies de meia sombra, já que não devem ser expostas ao sol do meio-dia.

Via de regra, para a decoração interna de apartamentos — onde a luz solar tende a ser mais escassa —, as suculentas e violetas têm lugar cativo, pois se adaptam bem nessas condições. De qualquer forma, recomenda-se posicioná-las próximo às janelas (sem as cortinas) ou mesmo em locais de iluminação artificial.

Rega

Um ato tão simples, mas, ao mesmo tempo, tão minucioso, não é mesmo? Quando falamos em regar as plantas, estamos diante de uma série de especificidades relacionadas a cada espécie: algumas demandam mais água, outras menos; algumas são tão resistentes que conseguem passar ilesas às regas esquecidas, enquanto outras logo demonstram a secura em suas folhas.

E há também aquelas que jamais podem ser encharcadas, pois água em excesso também faz mal para certas espécies. Os cactos, por exemplo, suportam ser regados apenas uma vez por mês, durante o inverno. No verão, a rega pode ser semanal, mas nunca em intervalos mais curtos do que isso. As suculentas seguem basicamente a mesma regra.

Um problema clássico do excesso de água é o acúmulo de umidade nas raízes, o que faz com que elas apodreçam, matando a plantinha. Por outro lado, se você não ficar de olho ou não seguir um cronograma adequado de regas, as espécies poderão morrer por desidratação.

Para você saber quando a planta está “pedindo” água, basta verificar o substrato: se a terra apresentar secura, pode ser que esteja na hora de molhar. Mas não confie apenas no olho, pois, muitas vezes, a terra está superficialmente seca, porém, o interior ainda está úmido.

Nesses casos, faça o teste penetrando um pequeno palito no substrato, observando se ele sairá úmido ou seco. E lembre-se: a água deve ser colocada sobre a terra, nunca sobre as folhas. Se elas apresentarem poeira, você poderá limpá-las com um pano umedecido.

Adubagem

A adubagem correta das plantas é essencial para que elas cresçam nutridas e saudáveis. Para essa tarefa, existem opções de adubos orgânicos, que podem ser encontrados em casas de jardinagem, ou, ainda, o húmus das minhocas, excelente alternativa para suprir toda a demanda nutritiva das espécies.

A poda também deve ser um cuidado constante para que a planta cresça vistosa. Portanto, quando notar a presença excessiva de galhos e folhas secos, você deverá podar suas plantas, para que os nutrientes sejam absorvidos por completo.

Um segredo interessante é que, ao cortar uma folha ou galho seco, convém passar um pouco de canela em pó no lugar do corte. Essa substância é um cicatrizante natural, que impedirá a entrada de fungos na planta após a poda.

Vasos

Nada como um belo vaso de plantas posicionado naquele cantinho estratégico, concorda? Pois, além da função decorativa, as plantas trazem vida e frescor para o seu lar. Por isso, sempre serão um bom investimento. Mas, além dos cuidados básicos de manutenção, é preciso ficar atento também ao vaso que suporta a espécie.

Algumas plantas precisam ser transferidas para vasos maiores enquanto crescem, de modo a não “estacionarem” seu crescimento por falta de espaço. Em alguns casos, também será necessário apostar no truque de virar o vaso, sobretudo se você perceber que a planta está crescendo de forma desigual. Aí, é só alternar a posição do vaso, para que ambos os lados recebam a mesma incidência solar e cresçam uniformemente.

Outra opção de plantas para decoração: flores artificiais

Se você não tem disponibilidade para cuidar das plantas — ou simplesmente não leva jeito com jardinagem —, uma maneira de trazer o tom verde para o lar e deixar tudo bem decoradinho e alegre é apostar nas flores artificiais.

Cada vez mais práticas e parecidas com as naturais, tornaram-se peças de composição em muitas decorações. E o melhor: como diziam os Titãs, as flores de plástico não morrem! Procure os modelos que mais se assemelham às plantas naturais e que sejam feitos com material resistente. Assim, terão uma durabilidade ainda maior.

Você pode misturar diferentes formatos de folhagens e flores para criar arranjos ou, ainda, mesclá-las com as plantas naturais em um jardim vertical, poupando parte do trabalho. Assim, além da praticidade do décor, a composição ganha também em autenticidade e estilo.

Não custa lembrar que, mesmo para as plantas artificiais, é preciso adotar alguns pequenos cuidados para conservá-las bonitas por mais tempo:

  • sempre tire a poeira da superfície das folhas, usando um plano com água e detergente neutro;

  • não use sabão em pó ou as deixe de molho, pois folhas e flores podem desbotar;

  • evite deixá-las expostas à luz solar direta, pois isso também favorece a descoloração dos materiais.

Seja com as plantas naturais, seja com as artificiais, se você atentar para esses cuidados básicos, não há dúvidas de que as espécies permanecerão vistosas por muito mais tempo. Outra dica importante quando falamos em plantas para decoração é contar com lojas especializadas na hora de adquirir os vegetais e os vasos.

Esperamos que, com essa lista de plantas para decoração, sua casa fique ainda mais aconchegante e convidativa, promovendo o bem-estar e a sensação de relaxamento para toda a sua família e amigos!

Gostou do post e quer ficar por dentro das novidades? Então, curta a nossa página no Facebook e acompanhe as melhores tendências sobre construção e décor!