A família aumentou, as instalações perderam a vida útil, os acabamentos ficaram velhos, a decoração não agrada mais… Seja qual for o motivo para reformar a casa, é essencial planejar cada etapa da obra e definir muito bem qual o orçamento disponível. Um bom planejamento para reforma inclui também a escolha de materiais de qualidade e a contratação da mão de obra que realizará o serviço.

Afinal, de nada adianta economizar dinheiro para reformar o imóvel e depois colocar tudo a perder com trabalho mal feito. Pensando nisso, preparamos este post que é um verdadeiro guia da ideia à execução da obra!

Vamos falar sobre planejamento financeiro, contratação de profissionais, escolha dos materiais de construção e outros aspectos importantes do projeto. Assim, será fácil tirar a obra do papel e curtir a casa nova com muito mais conforto, segurança e estilo. Vamos começar?

1º passo: saiba o que você quer reformar

O primeiro passo para fazer uma boa reforma é ter um planejamento realista, que contemple todas as etapas do serviço. Não dá para sair quebrando todas as paredes de uma vez e só depois perceber que não vai dar conta de tudo.

Reformas são exaustivas e deixam a casa desorganizada por alguns dias. Portanto, é preciso pensar antes na rotina da sua família para não inutilizar os cômodos e prejudicar seu dia a dia. Além disso, se você começar o quebra-quebra sem planejamento, pode ser que se arrependa de alguma mudança e aí não tem como voltar atrás sem prejuízo.

Ter um projeto para reforma é essencial para não correr esse risco. Assim, você já saberá ao certo o que pretende fazer (aumentar o banheiro, fazer uma reforma elétrica, criar um espaço gourmet para receber amigos etc.) e quais tarefas priorizar.

Definir as prioridades é fundamental. Dessa forma, caso surja algum imprevisto e o orçamento não dê conta do recado, será possível suspender alguma etapa até que tudo se normalize. Esse planejamento também é importante para evitar que certos reparos sejam prejudicados pelo período de chuvas, por exemplo, como a reforma de telhados e áreas externas.

2º passo: faça um planejamento financeiro

Colocando no papel tudo o que você pretende reformar, é hora de mexer no bolso e planejar as etapas da obra conforme o orçamento total disponível. Defina as prioridades e especifique o quanto pretende gastar em cada uma delas. Essa é a melhor maneira de garantir que não ficará com saldo no vermelho no final da obra.

Planejar-se financeiramente envolve tempo e paciência, até porque reformar nem sempre sai barato. É claro que dá para economizar bastante em alguns reparos. Porém, certas instalações pedem mais atenção para evitar o famoso barato que sai caro, como o sistema elétrico e hidráulico da residência. Os materiais para esse tipo de serviço devem ser da melhor qualidade possível, pois têm tudo a ver com a segurança da obra.

Quanto aos acabamentos, é possível economizar um pouquinho. O preço de pisos e tintas, por exemplo, costuma variar bastante conforme sua escolha. O ideal é manter um equilíbrio e pensar no custo-benefício de cada material, porque também não adianta comprar a tinta mais barata do mercado e a parede não ficar bem-acabada, não é mesmo?

3º passo: contrate profissionais qualificados

Com o planejamento feito e o orçamento definido, comece a pensar nos profissionais que você vai precisar para tocar a obra com sucesso, desde a concepção do projeto até os detalhes de acabamento. Em seguida, listamos os principais.

Arquiteto

O arquiteto é quem planeja, organiza e projeta toda a construção. Esse profissional alia funcionalidade e estética para as instalações da casa, propondo soluções criativas que vão deixá-la do jeitinho que você quer. Essas ideias vão para o papel, mais precisamente para a planta arquitetônica que é o esboço do projeto.

O esboço guiará a execução da obra com todos os detalhes da conjuntura do imóvel, como o aproveitamento do espaço, o projeto de iluminação e ventilação, a disposição do mobiliário, os materiais de acabamento, entre outras minúcias. São funções do arquiteto:

  • fazer a planta do projeto;
  • cuidar do paisagismo do imóvel;
  • ajudar a escolher os melhores acabamentos.

Engenheiro

Se o arquiteto é quem projeta a obra, esboçando a planta da casa, o engenheiro civil é quem a executa, ou seja, quem tira o projeto do papel. Além disso, esse profissional acompanha e gerencia cada etapa da construção, avaliando o prazo de entrega e o custo financeiro total.

Também é tarefa do engenheiro garantir a segurança do imóvel e do entorno, analisando a topografia da região, as condições do terreno, o tipo de fundação da obra, o dimensionamento dos sistemas para evitar problemas hidráulicos ou elétricos etc. Em resumo, são funções do engenheiro:

  • avaliar as condições climáticas;
  • dimensionar a estrutura da obra;
  • gerenciar cada etapa da execução.

Mão de obra

Contar com profissionais organizados e caprichosos é o melhor jeito de conseguir um acabamento impecável. Não adianta escolher um pedreiro apenas por sua capacitação e tempo de serviço. É preciso saber se ele é cuidadoso com os detalhes para cuidar da sua obra como se fosse dele. Afinal, o que mais vemos por aí é pedreiro que vai embora deixando imperfeições no serviço, não é?

Escolher profissionais zelosos também ajuda na limpeza pós-obra. Se ele for organizado e detalhista, não deixará sujeira, entulhos e resquícios de material acumulando sobre os acabamentos novos. Isso vale para todas as tarefas da obra, sobretudo as mais criteriosas, como assentamento de piso, pintura das paredes e instalação de móveis planejados.

4º passo: faça o projeto da reforma

Mesmo que você não esteja levantando a obra do zero nem vá reformar a casa inteira, é recomendado ter uma planta arquitetônica com a distribuição exata dos interiores e áreas externas do projeto. As dimensões do entorno e da fachada da casa também devem ser consideradas.

Dessa forma, fica muito mais fácil definir cada etapa e fazer a lista de materiais de construção, pois você já saberá tudo o que vai mexer. Como vimos, os arquitetos são os profissionais mais recomendados para dimensionar a obra. Até porque um projeto bem-feito demanda conhecimento técnico e criatividade para tirar o máximo proveito das instalações.

Esses profissionais também auxiliam na hora de escolher os acabamentos mais adequados para a construção, como os pisos para cada cômodo da casa, os melhores revestimentos, o tipo de decoração escolhida etc. É claro que você já tem suas preferências, como uma casa em estilo escandinavo, moderno ou rústico, por exemplo.

A vantagem do arquiteto, nesse caso, é que ele tem o conhecimento técnico para indicar as melhores soluções conforme o seu gosto e a funcionalidade que você quer para os ambientes. Imagine só o prejuízo de escolher por conta própria um revestimento caro para o banheiro ou cozinha e depois perceber que fez uma escolha que nada tem a ver com a proposta do cômodo?

Se a intenção é reformar também a área externa da residência, conte com um profissional que entenda de paisagismo para fazer a melhor ambientação possível do entorno. Construção de piscina, espaço para churrasco, área de jardim… Tudo isso deve ser pensado aliando estética e qualidade nos acabamentos, sobretudo porque estamos falando de locais sujeitos às intempéries climáticas.

5º passo: elabore o cronograma de obras

Fazer um bom planejamento para reforma significa ser objetivo e direto para não perder o foco ou estourar o orçamento. Por isso dizemos que o projeto deve ser realista, ou seja, acabar no prazo certo e caber no seu bolso.

É claro que imprevistos acontecem e talvez você precise alterar o plano. Mas, sempre que possível, procure se guiar pelo cronograma e não “atropele” as etapas da obra, começando serviços que não estavam planejados e deixando os demais por fazer.

Reflita com atenção sobre cada trabalho que você pretende fazer e avalie se são mesmo indispensáveis para a obra, lembrando-se de definir as prioridades da sua lista. A seguir, explicamos as etapas básicas de um cronograma de obras.

Estrutura

Mexer na estrutura do imóvel é algo mais trabalhoso. Ela é pensada no início do projeto quando começamos a construção, então esta dica é direcionada principalmente para quem está levantando uma obra do zero. A estrutura é o que dá sustentação ao imóvel, por isso, qualquer descuido pode comprometer todo o resultado.

É imprescindível contar com profissionais capacitados para não ter falhas no projeto e garantir a segurança da obra, considerando-se fatores como nivelação do terreno, peso do imóvel e presença de sobrecargas. A estrutura de uma construção é formada por quatro componentes principais:

  • fundação: transmite as cargas da obra ao solo, sendo projetada conforme nível de carga que o imóvel vai receber e o tipo de solo em questão;
  • pilares: transmitem as cargas das vigas e lajes para a fundação da obra;
  • vigas: transmitem o peso da laje e dos demais elementos para os pilares, reforçando a estrutura;
  • lajes: recebem diretamente as cargas do projeto, transferindo-as para as vigas e, sucessivamente, para as outras estruturas da obra.

Alvenaria

Se o seu planejamento para reforma inclui ampliação da casa, certamente seu cronograma terá a etapa de alvenaria. Ela geralmente é feita em concreto armado, mas existem outras soluções que estão virando tendência, como o dry wall.

A função da alvenaria é dimensionar as paredes que vão separar os cômodos, projetando os ambientes. Nessa fase, começamos a perceber melhor o andamento da obra, pois é quando a estrutura vai ganhando forma.

Cobertura

A etapa de cobertura também é crucial para quem está levantando a obra do zero. Ela tem a função de proteger o imóvel das intempéries climáticas, como a ação da chuva ou sol intenso, que com o tempo podem deteriorar a construção.

Nesta etapa também são pensadas a ventilação e acústica da residência, definindo as soluções para o melhor conforto termoacústico.

Acabamento

Materiais de acabamento estão presentes em qualquer planejamento para reforma, afinal, eles é que dão o “tom” do imóvel, deixando tudo de cara nova. Não é à toa que para muita gente essa é a melhor etapa da obra, pois a casa vai ganhando estilo e personalidade conforme vamos escolhendo os materiais.

Esta etapa engloba também todos os detalhes finais da reforma, como o assentamento de pisos ou azulejos, a pintura interna ou externa, a passagem de fiação, a instalação de louças sanitárias e tantos outros pormenores da obra.

Como se trata de uma fase minuciosa, é preciso prestar atenção para não errar nas escolhas. Por isso, reflita com muito carinho na funcionalidade e na estética que você quer para o cômodo. O estilo de decoração também deve ser muito bem escolhido. Isso deve ser feito antes de escolher acabamentos, já que todos os itens deverão seguir um mesmo conceito e dialogar entre si para um resultado harmonioso.

6º passo: pesquise o preço de materiais e acabamentos

Em um planejamento para reforma, não basta saber ao certo o quanto você pretende (e pode) gastar. Também é fundamental pesquisar os preços para não correr o risco de estourar o limite do cartão ou acabar levando gato por lebre. Por isso, jamais compre todos os materiais na primeira loja que encontrar.

Procure por estabelecimentos especializados no ramo de reforma e construção, que ofereçam materiais de primeira linha e que contem com funcionários bem informados para esclarecer todas as suas dúvidas sobre determinado produto. Quanto aos preços, vale a pena pesquisar em várias lojas, por mais que esse processo pareça exaustivo.

Muitas vezes, as diferenças são consideráveis de uma loja para outra. Assim, o custo total do projeto pode sair menor do que o planejado e sobrar dinheiro para investir em novas instalações.

Fique de olho também em promoções e negocie sempre que possível. A maioria dos estabelecimentos oferece bons descontos para quem compra à vista ou leva muita quantidade do mesmo material. Apenas tome cuidado para não exagerar e acabar desperdiçando materiais no decorrer da obra. O cálculo do que você vai precisar também deve estar incluído no seu planejamento de reforma.

7º passo: saiba escolher fornecedores e bons profissionais

Fornecedores

Escolher os melhores fornecedores dá trabalho, principalmente se estivermos falando de uma reforma maior, que demandará muito material.

Se a sua obra estiver sendo supervisionada por um arquiteto, será mais fácil ter indicações de bons fornecedores e lojas de materiais de construção, pois esses profissionais lidam diretamente com isso. Mas também dá para pedir referências a pessoas próximas que estão construindo ou reformando e até mesmo para aquele vizinho que acabou de repaginar o visual da casa.

A regra básica para não errar é sempre optar por lojas especializadas no ramo, que tenham um amplo catálogo de produtos e estejam há um bom tempo no mercado.

O atendimento deve ser personalizado e focado nas necessidades do cliente, bem como no custo-benefício que ele procura. Inclusive, o custo-benefício é uma palavra-chave na hora de escolher os fornecedores da obra. Como vimos, não dá para economizar em serviços estruturais, como telhado, forro, projeto elétrico e hidráulico, entre outros.

No entanto, é possível escolher produtos menos nobres quando se trata dos acabamentos da residência. Isso não significa comprometer a qualidade ou a funcionalidade das instalações. O que costuma variar nesse caso é a estética do material escolhido. Mesmo assim, escolher materiais mais simples não significa abrir mão da beleza e requinte dos acabamentos.

Tudo vai depender de como os elementos harmonizam entre si e do resultado final da composição. Considere também as particularidades de cada ambiente (interno, externo, úmido etc) antes de fazer sua lista de compras. Assim você não estoura o orçamento nem desperdiça materiais inadequados para determinada área.

Profissionais

Contar com profissionais capacitados e de confiança é um dos maiores desafios no planejamento de reforma. Afinal, não é tarefa simples encontrar um pedreiro que seja competente, confiável e caprichoso. Isso sem falar que, mesmo depois de encontrá-los, é preciso agendar o serviço com bastante antecedência para que sua obra não fique parada enquanto os melhores pedreiros estão com a agenda cheia.

Assim como na escolha de fornecedores, aqui também vale a dica de pedir recomendações a pessoas próximas que acabaram de construir ou reformar. Nesse caso não precisa ter pressa. Pesquise as referências com calma, faça vários orçamentos, avalie cada proposta e não se deixe levar por impulsos.

Inclusive, como é difícil encontrar um bom pedreiro, é comum que as algumas pessoas queiram fazer a reforma por conta própria. Isso não é aconselhável, a menos que o reparo seja simples e que você tenha boas habilidades com o “faça você mesmo”. Na grande maioria das vezes o mais indicado é contar com mão de obra especializada, que saberá executar o serviço com domínio e precisão.

Se você estiver contratando um arquiteto, por exemplo, analise cuidadosamente o portfólio dele e, se possível, visite as obras já construídas para ter uma ideia mais realista de como o profissional trabalha. Seja claro ao explicar o que você pretende reformar e como deseja fazer as mudanças, de modo que o arquiteto consiga captar sua inspiração e transformá-la em uma solução viável.

8º passo: faça o acompanhamento da obra

Desde a fase estrutural até a etapa de acabamento, não dá para descuidar do acompanhamento da obra. Em alguns casos, conforme a dimensão do projeto, é até necessário contratar uma empresa de gestão de obras para comandar todas as etapas do processo. Geralmente, isso acontece em projetos comerciais ou industriais.

Na construção de residências, dá para acompanhar a execução da obra avaliando de perto o trabalho de todos os envolvidos no projeto: engenheiro, arquiteto, pedreiros etc. Lembre-se de que o engenheiro civil é o responsável por gerenciar todas as etapas, sendo ele quem normalmente comanda o serviço dos pedreiros e demais funcionários.

Também é função do engenheiro ou mestre de obras definir quais materiais serão utilizados em cada etapa, sempre visando a segurança e o padrão de qualidade da construção. Ter esse alguém devidamente capacitado para gerenciar a obra é importantíssimo. Assim, caso aconteça algum imprevisto ou eventuais falhas, será possível corrigi-las antes de o problema se agravar.

Tudo isso sem falar que uma obra que foi acompanhada de perto — seja pelos profissionais responsáveis, seja pelo proprietário do imóvel — tem bem menos chances de sofrer problemas futuros ou precisar de manutenções com pouco tempo de uso. Isso significa alívio no bolso e nenhuma preocupação com prejuízo e retrabalho.

Cumprimento do prazo

Mesmo que você tenha deixado a obra totalmente nas mãos dos profissionais especializados, procure conhecê-los pessoalmente antes de iniciar os serviços. Mantenha um diálogo aberto e manifeste seu desejo para que tudo saia conforme planejado e dentro do prazo. Mostre que você está fazendo a reforma dos seus sonhos e, portanto, não quer que nada dê errado.

Isso evita mal-entendidos e faz com que a equipe sinta-se ainda mais responsável pela obra, com a intenção de entregá-la no melhor padrão possível. Quanto aos prazos, vai depender das dimensões do projeto em si. É comum que obras muito grandes atrasem porque começou o período de chuvas, por exemplo, o que impede a execução de determinados serviços.

Ao fazer seu planejamento para reforma, tenha em mente essa possibilidade e considere uma prorrogação do prazo de entrega por conta dos eventuais imprevistos. Dessa forma, você não corre o risco de contar com o imóvel pronto em determinada data e ele não ficar pronto a tempo.

Por fim, considere sua rotina familiar antes de dar o start na obra. Inevitavelmente, a casa ficará mais cheia e pode ser difícil controlar o entra e sai de pedreiros e ajudantes. Por isso, é importante conversar com toda a equipe e estabelecer os melhores horários para cada serviço, sobretudo em tarefas barulhentas ou que geram muita poeira e entulho.

Com este guia, você está pronto para fazer seu planejamento para reforma e tirar a tão sonhada obra do papel. Vale a pena gastar um tempinho planejando o cronograma de etapas, a compra dos materiais e a contratação da mão de obra. Assim, com certeza o projeto será bem-sucedido e com excelente padrão de segurança, conforto e qualidade!

Gostou do post? Assine nossa newsletter e receba em primeira mão mais conteúdos como este!