Todo mundo sabe que fatores como a umidade, a infiltração e o mofo são inimigos das obras residenciais e do décor da nossa casa. Mas pouca gente sabe explicar ao certo o que é impermeabilização e como essa técnica funciona na proteção de esquadrias, lajes e estofados, entre outras funcionalidades da obra.

Por isso, preparamos este post para responder as principais dúvidas relacionadas à impermeabilização. Aqui, vamos detalhar o funcionamento dessa técnica, bem como suas indicações e efeitos.

Com esta leitura, você aprende a proteger o seu lar e a prolongar a vida útil dos móveis e instalações da casa. Vamos lá!

O que é impermeabilização?

O processo de impermeabilização consiste, basicamente, em aplicar produtos específicos sobre as superfícies do imóvel sujeitas às intempéries climáticas. O objetivo é proteger essas superfícies da ação nociva da água — geralmente condicionada às chuvas, lavagens e banhos —, principalmente nas áreas externas e mais úmidas da residência.

Para que serve e como funciona?

Vimos que a impermeabilização protege as estruturas e instalações do imóvel. Ok. Mas como isso funciona? O processo pode até parecer complexo à primeira vista. Mas, na verdade, é bem simples.

Funciona assim: os produtos utilizados para impermeabilizar as superfícies possuem formulação química específica, que atua formando uma potente barreira física para a água ou demais líquidos. Essa barreira impede que a umidade seja absorvida por móveis, esquadrias, estruturas etc. Ela previne a temida infiltração e também a formação de mofo, bolor e manchas.

A formulação química dos produtos impermeabilizantes é composta essencialmente por uma resina que envolve a estrutura das superfícies, fazendo com que os eventuais líquidos sejam repelidos de imediato ao entrarem em contato com a face impermeabilizada do item.

Sendo assim, podemos dizer que a vida útil das construções está intimamente relacionada ao processo de impermeabilização. Isso porque, quando as estruturas do imóvel não passam por essa técnica, inevitavelmente a umidade será absorvida pelo concreto, alvenaria e revestimentos. A longo prazo, isso poderá causar danos irreparáveis.

Para você ter uma ideia do risco, saiba que estruturas que não recebem a devida impermeabilização podem sofrer desde consequências simples — como a formação de mofo —, até problemas mais graves como surgimento de goteiras, deslocamento de azulejos, corrosão e ferrugem.

Sem falar que a combinação umidade + fungos + mofo é bastante insalubre. Ou seja, as consequências da falta da impermeabilização comprometem não só a estética do ambiente, mas, também, a nossa própria saúde.

Quando a técnica é indicada?

Recomenda-se a utilização de agentes impermeabilizantes em praticamente todas as etapas das reformas e construções: desde as fundações, subsolos, paredes de contenção e lajes, até as áreas molhadas como piscinas e reservatórios.

Quanto ao tipo de impermeabilizante a ser utilizado, é importante saber que existem diversas composições no mercado de materiais de construção. Para não errar na escolha, o ideal é contar com a ajuda dos funcionários das lojas especializadas e estar sempre atento às instruções do fabricante.

Sobre a aplicação em si, recomenda-se que a técnica seja feita por profissionais capacitados. Assim, você terá a garantia de que o serviço será executado corretamente. E lembre-se: quando aplicados de forma correta, os produtos impermeabilizantes não alteram as características da superfície, como cor ou textura.

A seguir, listamos as principais superfícies para as quais a impermeabilização é indicada. Confira:

Paredes e esquadrias

A passagem de água entre paredes e esquadrias é muito mais comum do que a gente imagina. Para não sofrer as consequências desse processo, recomenda-se o uso de selantes específicos nas áreas mais suscetíveis à infiltração, como eventuais trincas ou fissuras, as interfaces entre paredes e caixilhos ou entre o vidro e os caixilhos.

Normalmente, os especialistas indicam selantes à base de poliuretano para superfícies de metal e selantes à base de silicone para superfícies de vidro.

Calhas

Em se tratando de calhas, devemos salientar que elas precisam de manutenção constante para evitar problemas no dimensionamento da peça. É fundamental mantê-las sempre limpas e desobstruídas.

No entanto, se mesmo com as manutenções regulares, persistirem os problemas de transbordamento da água no período de chuvas, é provável que a questão seja a falta de impermeabilização adequada. Nesse caso, recomenda-se a aplicação de selantes nos pontos de arremate dos ralos e demais áreas críticas.

Lajes

Outro problema muito comum nas obras são os vazamentos e infiltrações em lajes. Para evitar esse risco, o ideal é ficar de olho na manutenção periódica das estruturas, visto que a área já deverá ter passado pelo processo impermeabilizante no momento da construção. Sempre mantenha os ralos limpos e confira os arremates em geral, como juntas e rodapés.

Rodapés

É importante considerar que, muitas vezes, a técnica da impermeabilização é uma medida paliativa. No caso de paredes e rodapés, não há paliativos capazes de resolver os eventuais problemas.

Por isso, é essencial garantir que a técnica impermeabilizante seja executada corretamente desde o momento da construção do imóvel, de modo a evitar um problema bastante conhecido: a umidade ascendente, que provém do subsolo e é capaz de causar danos irreparáveis aos rodapés.

Móveis e estofados

A impermeabilização de móveis e estofados vem ganhando cada vez mais destaque entre as diversas utilizações da técnica. Afinal, essa é uma maneira muito eficaz de manter esses itens sempre limpos e com a aparência de novos.

Geralmente, o processo consiste em pulverizar o produto nas superfícies e tecidos com o auxílio de uma bomba de efeito spray. E, mais uma vez, ressaltamos a necessidade de o serviço ser feito por um profissional devidamente capacitado.

A aplicação é ágil, eficaz e muito prática. O móvel ou o tecido estarão secos e prontos para serem utilizados cerca de 3h horas após o processo. A partir daí, basta manter a limpeza regular das superfícies. Assim, certamente, seus móveis e estofados vão durar muito mais do que você imagina!

Vale lembrar ainda que, além de contribuir para que sua casa se mantenha bonita e no mais alto padrão de qualidade, a técnica da impermeabilização não deixa resíduos tóxicos ou alergênicos, contribuindo para que o ambiente se mantenha sempre saudável.

Agora que você aprendeu mais detalhes sobre o que é impermeabilização, já está pronto para passar o pente fino na casa e conferir os pontos que estão precisando dessa técnica. Gostou do post? Então curta nossa página no Facebook e fique ligado nas melhores dicas e conteúdos sobre casa e construção!