Plantar flores é uma forma muito prática e econômica de valorizar a área externa de sua residência. Afinal, um jardim bem cuidado rouba a cena em qualquer fachada ou quintal — sem falar na terapia que é cuidar das plantas e acompanhar de perto o cultivo. Mas, para tanto, é preciso investir em boas ferramentas de jardim e conhecer um pouquinho de jardinagem.

Isso não é difícil. Basta ficar atento a algumas questões cruciais, como o tipo de solo, os truques de plantio e o estilo de paisagismo que deseja para a área. Com a prática, além de pegar o jeito, você acaba transformando a experiência em um verdadeiro hobbie.

Ficou interessado? Então, continue a leitura e veja seis dicas incríveis para ter um belo jardim!

1. Escolha um local plano e bem iluminado

Parece óbvio, mas muita gente se esquece de começar pelo básico: escolher um local plano e ensolarado para montar o jardim. Você pode até pensar que não fará diferença plantar flores em um solo inclinado. Mas vai desistir da ideia já na primeira rega, pois o solo plano facilita a irrigação e a absorção de nutrientes.

Certifique-se também de que haverá um ponto de água acessível no lugar, seja para encher os regadores, seja para engatar a mangueira (no caso de um jardim amplo). Inclusive, para quem ainda é iniciante na experiência, o ideal é começar a plantação em uma área menor, de aproximadamente 3 m x 1,20 m.

Dessa forma, a manutenção será mais simples até que você desenvolva melhor suas habilidades para cuidar de um quintal extenso. Quanto à iluminação, sabemos que a luz solar é essencial em qualquer plantio, portanto jamais escolha um local 100% sombreado para plantar flores.

A maioria das espécies necessita de cerca de seis horas de incidência solar direta para se desenvolver de forma saudável, de preferência antes do sol do meio-dia. De qualquer forma, esteja atento às particularidades de cada espécie para escolher o melhor lugar.

2. Avalie o tipo de solo e prepare-o cuidadosamente

O tipo de solo também tem tudo a ver com a espécie flor que você deseja plantar. Isso porque, dependendo do caso, ela vai demandar maior ou menor acidez do terreno. O recomendado, portanto, é sempre conferir o pH antes de iniciar o cultivo. Existem também tipos que se adaptam muito bem aos dois solos — ácido ou alcalino.

Além disso, é importantíssimo saber qual o nível de umidade do terreno e que tipos de nutrientes predominam ali. Assim, você pode complementá-lo com os adubos e fertilizantes adequados.

Quando o solo estiver devidamente adubado e pronto para receber o plantio, aproveite para traçar o “layout” do seu jardim com um garfo de jardinagem ou uma ferramenta similar, definindo o lugar exato de cada espécie.

Outro segredinho é evitar caminhar diretamente pelo solo preparado ou sobre o jardim já estabelecido, pois os passos compactam a terra e dificultam o crescimento das raízes. Portanto, mais do que uma questão estética, vale a pena caprichar na demarcação dos caminhos do jardim para mantê-lo saudável, utilizando pisos específicos de áreas externas.

3. Invista em boas ferramentas de jardinagem

Não dá para ter um quintal bem cuidado sem investir nos equipamentos certos. As ferramentas de jardim — pás, tesouras, sancho etc. —, além de serem obrigatórias para plantar flores, vão contribuir (e muito!) para a manutenção do terreno. Assim, você poderá curtir o seu hobbie sem comprometer o cultivo, limpando o solo ou podando as espécies com utensílios improvisados.

Falando em limpeza de jardim, essa é uma tarefa indispensável para o cultivo saudável das flores e, portanto, deve ser realizada periodicamente. Utilize as ferramentas próprias para fazer as podas regulares, retirar as folhas mortas e manter o terreno livre de quaisquer resíduos que possam favorecer o surgimento de ervas daninhas.

4. Faça buracos bem maiores do que as mudas

Normalmente, quando começamos a preparar um jardim, investimos em pequenas mudas em vez de semear no próprio terreno. Essa é uma maneira simples de garantir que a mudinha vá se desenvolver bem até ser transplantada para o solo em questão. Porém, é preciso evitar um erro muito comum no transplante: não deixar espaço suficiente para a planta se desenvolver no terreno.

Se você comprou as mudas em uma casa de jardinagem, certamente essas informações estarão descritas na embalagem. De toda forma, considere escavar buracos que tenham o dobro do tamanho do recipiente da muda. Quanto à profundidade, para que a irrigação e a absorção de nutrientes sejam efetivas, o buraco deve ter seis centímetros (em média).

Não se esqueça também de adubar o local antes do replantio. Basta molhar, deixar a terra absorver a água, acrescentar a flor e cobrir o restante do buraco. Repita esse procedimento a cada novo cultivo e fique atento às necessidades das plantas.

Já no caso daquelas espécies que exigem semeadura diretamente no solo definitivo, prepare bem os canteiros e siga as instruções da embalagem das sementes.

5. Utilize lubrificante de silicone na escavação

Eis a dica de ouro para facilitar o trato com as ferramentas de jardim e o plantio de flores: utilizar lubrificante de silicone na escavação. Trata-se de nada mais do que um spray que torna a escavação mais prática, sobretudo em solos duros ou arenosos.

Passar uma boa dose de lubrificante na pá corresponde a deixá-la antiaderente. Isso facilita a abertura dos buracos e impede que a terra grude na ferramenta.

6. Capriche no paisagismo do jardim

É claro que um jardim com flores bem cuidadas é vistoso por si só. Mas vale a pena investir no paisagismo do local para torná-lo ainda mais convidativo e aconchegante.

Uma boa dica é comprar móveis de qualidade e pisos específicos para áreas externas, criando um conceito harmonioso para o seu jardim. Se a metragem permitir, invista também em um pergolado ou um belo espaço gourmet.

A atmosfera do ambiente pode variar do estilo rústico até o mais contemporâneo, a depender de suas preferências. O mesmo vale na hora de plantar flores — escolha as espécies que melhor dialoguem com o tipo de paisagismo que você quer para a área, observando principalmente as cores e os tamanhos de cada uma.

Nossa última dica é: para um resultado visual mais uniforme, concentre as espécies maiores ao fundo, as médias no centro e as rasteiras na frente do quintal. Agora, é só pegar as ferramentas de jardim, se jogar no plantio e deixar sua casa muito mais charmosa e convidativa.

Que tal aproveitar o embalo e conhecer algumas árvores frutíferas de pequeno porte ideais para ter no quintal? Boa leitura e até a próxima!