Para construir um imóvel seguro, não há dúvidas: é preciso erguê-lo sobre bases firmes e criar estruturas resistentes.

De maneira didática, as ferragens para construção civil cumprem uma função de sustentação semelhante à exercida pelos ossos no corpo humano. Se as ferragens forem de má qualidade, ou usadas de maneira insuficiente, nem o mais belo projeto arquitetônico resiste à ação do tempo.

Para entender mais sobre o assunto e conversar apropriadamente com os empreiteiros, arquitetos e/ou engenheiros responsáveis pelo seu projeto, acompanhe o post e esclareça suas dúvidas!

Quais são os principais tipos de ferragens para construção civil?

Entre a imensa variedade de materiais de construção existentes, as ferragens não chamam a atenção pela beleza ou recebem local de destaque nos home centers.

Porém, a indústria do aço para o emprego na construção civil está cada vez mais completa, oferecendo materiais variados que se destacam pela eficiência, passam por um rigoroso controle de qualidade e vão muito além dos tradicionais vergalhões.

Graças ao avanço do setor, os projetos arquitetônicos podem ser erguidos bem mais rápido do que se fazia antigamente, pois a mão de obra encontra armações devidamente cortadas e dobradas — suprimindo uma etapa antes dispendiosa.

Além de ajudar a manter o cronograma de obra em dia, os produtos prontos geram economia no orçamento e reduzem os desperdícios no canteiro.

Conheça as especificações

O grau de resistência das ferragens muda conforme sua composição química, o que resulta em três especificações principais:

  • aço CA 50 — o mais empregado na construção civil, com bitolas (diâmetro) de 6.3 mm a 40.0 mm e superfície nervurada. Tem resistência característica de 500 MPa;
  • aço CA 25 — mais usado para barras de transferência, costumeiramente apresenta resistência de 250 MPa, com bitolas de 6.3 mm a 40.0 mm e superfície lisa;
  • aço CA 60 — Com 600 MPa de resistência, é mais utilizado em estruturas pré-moldadas. Conta com bitolas de 4.2 mm a 9.5 mm e superfície lisa.

Quais são as estruturas de aço mais comuns na construção civil?

Já pensou que perigo construir uma sacada de maneira inadequada? Por isso, existem diversos tipos de estruturas de aço para o emprego adequado na construção civil. Dentre elas, destacam-se:

Vergalhões

As tradicionais barras longitudinais têm, em média, 12 m de comprimento e bitolas variadas.

Podem ser dobrados em forma de estribo ou de outras maneiras, conforme determinado no projeto estrutural.

Treliças nervuradas

Usadas em estruturas pré-fabricadas para lajes treliçadas, as treliças nervuradas são compostas por meio do entrelaçamento de um fio longitudinal superior e dois inferiores, os quais são separadas por dois estribos eletrossoldados.

Em relação à composição química, as treliças nervuradas são feitas com fios tipo CA 60 nervurados.

Telas nervuradas

Soldadas com fios de aço CA 60, os quais formam uma malha que pode ser retangular ou quadrada, vendidas como painéis ou em rolos.

As telas nervuradas oferecem uma ampla gama de diâmetros e espaçamentos entre os fios. Por isso, podem ser usadas em radiers (laje contínua de fundação), pisos e piscinas de concreto armado, lajes e outras estruturas.

Arames recozidos

Material dos mais básicos, mas nem por isso menos importante. O arame recozido nada mais é do que um material feito com baixo teor de carbono, o que garante a sua boa maleabilidade aplicação em diversos formatos.

Com função de fixação, o arame recozido é usado na amarração para montagem de estruturas de concreto armado variadas, sendo moldado conforme a necessidade.

Cordoalhas e fios de protensão

Cordoalhas são cabos de aço feitos a partir de um conjunto de fios estabilizados e aplicados em concreto protendido, ou seja, em betão pré-esforçado.

Os fios de protensão também são feitos para o uso em concreto protendido e, como as cordoalhas, recebem um esforço de protensão nas extremidades. Ambos são encontrados em diâmetros variados, de modo a atender uma ampla variedade de projetos.

Em quais etapas do projeto as ferragens são usadas?

Quando se trata da construção de um imóvel, as ferragens fazem parte da primeira lista de compras, junto às pedras, aos sacos de areia, entre outros materiais básicos, por conta de sua aplicabilidade no projeto estrutural.

Os tradicionais vergalhões entram na armação de todos os componentes estruturais de uma obra, da fundação às colunas, lajes e estruturas de contenção.

Se usados sob a forma de barras de transferência (dispostas em juntas entre placas de pisos de concreto), permitem a movimentação horizontal decorrente de variações térmicas.

As treliças nervuradas são usadas em lajes pré-fabricadas, destacando-se pela facilidade no manuseio e, consequentemente, na execução das estruturas.

As telas nervuradas, por sua vez, são empregadas em pisos de concreto armado de alto desempenho, como na estrutura de piscinas, por exemplo.

Já os arames recozidos, muito maleáveis e com elevada resistência à tração, são usados em amarrações.

Por fim, as cordoalhas são aplicadas em construções de grande porte, como em pontes, por exemplo. Já os fios de protensão são usados em lajes alveolares — que dispensam o escoramento.

Como proceder a compra das ferragens para uma obra resistente?

As ferragens usadas na construção civil são fabricadas em usinas siderúrgicas e, como dito, seguem um rigoroso controle de qualidade.

Toda obra precisa ser bem planejada. Para se certificar que irá usar apenas materiais de boa procedência, peça para o empreiteiro comprá-las em locais que comercializem produtos que respeitem a NBR 7480/96, da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

O cálculo da quantidade, tipo e especificação técnica das ferragens, por sua vez, é informado pelo engenheiro responsável pela execução do projeto estrutural, variando em função dos tipos de fundações, lajes, muros de arrimo, entre outras características arquitetônicas.

Acertar na quantidade das ferragens e tomar cuidado para que o pedido seja entregue o mais perto possível do momento de uso evita que as estruturas fiquem paradas no canteiro de obras.

Este cuidado é necessário, especialmente, se as ferragens não ficarem abrigadas sob um barracão. Expostas ao tempo, elas podem sofrer com a ação de intempéries, especialmente a da chuva.

A ferrugem é o primeiro indício do processo de corrosão e, em longo prazo, pode comprometer a estrutura. Por isso, o armazenamento deve ser feito pelo menor tempo possível e evitando a umidade.

No entanto, se notar o aparecimento de alguns pontos de ferrugem, fique tranquilo: quando são superficiais, eles não prejudicam a resistência.

Na dúvida, fale com o seu engenheiro e lembre que o armazenamento correto é a única medida eficaz para evitar a corrosão. O uso de graxa ou de qualquer tipo de fluido é contraindicado, pois impede a aderência do material ao concreto.

Quem diria que existe tanta informação importante sobre um material tão primordial?

Pois bem, agora que você já sabe quais são os tipos de ferragens para construção civil existentes, como devem ser armazenadas e muito mais, não perca tempo procurando por aí. Quando quiser esclarecer dúvidas sobre quaisquer itens do universo da construção, entre em contato conosco!