“Cristo Redentor, braços abertos sobre o Milionários”.

Com a devida licença poética, o maestro Tom Jobim poderia assim descrever a monumental estátua que ergue-se vigilante no ponto mais elevado do bairro Milionários, região do Barreiro.

A Praça Cristo Redentor – ou simplesmente praça do Cristo do Barreiro –, espaço conhecido da população barreirense, marca o encontro entre as ruas Mannesmann e Dona Lalá Fernandes. Com 7.056 metros quadrados, o local é observável de vários bairros belo-horizontinos, e até de cidades vizinhas como Contagem, Nova Lima e Ibirité.

No eixo central do largo – ou seja, com 84 metros distanciando cada lado da margem – o Cristo Redentor de Belo Horizonte observa, do alto de seus 11,8 metros, o esplêndido crescimento da capital mineira desde dezembro de 1955 – quando deu-se o lançamento de sua pedra fundamental.

O “nascimento” do Redentor barreirense

Cristo de Belo Horizonte: conheça mais sobre a estátua do Barreiro

Dom Cabral, Arcebispo de BH em 1955, abençoa a pedra fundamental do Cristo do Milionários. À frente, da esquerda para direita: Caetano Pirri (idealizador do monumento), o Arcebispo Dom Antônio Cabral, os padres passionistas Félix e Alfredo.

O conceito do construto foi concebido em todos os detalhes pelo imigrante italiano Caetano Pirri, à época proprietário de duas fazendas que deram origem ao bairro Milionários quando subdivididas. Porém, o projeto do senhor Pirri encontrou inúmeros percalços até sua concretização:

  • Em primeira instância, a insuficiência de recursos financeiros na esfera privada fez com que a obra fosse julgada “impossível de realizar-se”.
  • Logo após, o fazendeiro italiano submeteu o projeto ao prefeito de Belo Horizonte por intermédio do diretor do Departamento de Parques e Jardins, doutor Alberto William Fraisse. Novamente, a construção foi vetada.
  • Não satisfeito, o próprio Caetano Pirri executou a iluminação prevista no projeto, arcando com seus próprios recursos o posteamento de luz na região… todavia, furtos de fios elétricos, de holofotes e até das gambiarras impediram o prosseguimento dessa feita.

Até que, finalmente, outra iniciativa culminou na tão esperada execução. O projeto logrado pelo engenheiro Mozar Moreira da Silva teve seus cálculos estruturais executados pelo também engenheiro Domingos Daré e sua equipe, contando com a atuação de Raimundo Ribeiro como mestre de obras. Na inauguração da pedra fundamental, em 1956, várias autoridades civis e militares estiveram presentes e acompanharam a benção do arcebispo de Belo Horizonte, Dom Antônio dos Santos Cabral.

O Cristo de Belo Horizonte em números

Cristo de Belo Horizonte: conheça mais sobre a estátua do Barreiro

Belo Horizonte é mesmo maravilhosa. E assim como a “cidade maravilhosa” litorânea, também temos nosso Redentor! Conheça detalhes sobre o Cristo do Barreiro.

Constituído de alvenaria na maior parte da fundação, o tronco da imagem tem interior oco e equilibra-se em quatro colunas. Os membros superiores, por sua vez, apoiam-se por vigas em duas colunas. No entorno, circulando a estátua como centro referencial, o piso de pedra portuguesa forma interessante desenho geométrico.

Onze metros e oitenta centímetros de altura da estátua – que não levam em conta, ainda, a base de 4m² – são sustentados por 2 metros de alicerce em concreto ciclópico.

O corpo mede 10 metros, somando-se aos 1,80 metros da cabeça. Os braços abertos do Cristo de Belo Horizonte compreendem incríveis 13,50 metros de um dedo médio ao outro, com as mãos representando 20% dessa medida – cerca de um metro e trinta centímetros para cada palma. Todos os entalhes foram moldados pelo escultor João Scuotto, durante quatro meses consecutivos de trabalho.

A casa do Cristo, bairro Milionários

Tombado pela prefeitura como patrimônio histórico da cidade, o local é uma das melhores opções para quem quer apreciar o conjunto de bairros e serras do Barreiro. Da extensa vista oferecida pela sacada, é possivel admirar a incrível cadeia montanhosa que emoldura a região.

De um lado, o belo horizonte enche os olhos dos visitantes com o Hospital Metropolitano, parte do conjunto de bairros das regiões popularmente conhecidas como Barreiro de Cima e Barreiro de Baixo. À esquerda, é possível contemplar o Parque Estadual da Serra do Rola Moça, além de uma panorâmica tomada do Anel Rodoviário ao fundo.

Com arena teatral, ampla área de convivência e localização privilegiada, a Praça Cristo Redentor também é visitada por quem busca a prática de esportes e lazer, além de atividades culturais e religiosas.

Localizada a 300 metros da Via do Minério, principal rota de acesso ao Barreiro, a Praça do Cristo é atendida pelas linhas rodoviárias 318, da Estação BHBus Barreiro, e 1760, ônibus que liga o município de Contagem à região.

A trajetória do Cristo do Barreiro é composta por toneladas de concreto, várias recordações marcantes e muitos anos de história… Você já visitou esse importante ponto de BH pessoalmente? Compartilhe nos comentários caso tenha alguma foto na região! E se um dia estiver observando a estátua do Redentor de pertinho, aproveite para conhecer a Cristiano Casa e Construção!

Os dados contidos nesse texto foram obtidos através do excelente livro “Barreiro – 130 anos de história: da argila ao aço“, escrito pelo pesquisador Antônio Augusto de Souza em 1986.