Eu, você, dois filhos e… uma reforma residencial! A descrição pode até lembrar aquela canção do sertanejo Luan Santana, mas esta é uma situação habitualmente encontrada quando famílias com crianças decidem renovar seus imóveis: poeira, materiais e caixas por todos os lados, enquanto os pequenos continuam com energia máxima!

Lidar com os mais jovens durante reformas é uma questão delicada, principalmente quando a família vai permanecer em casa enquanto os reparos acontecem. O que fazer para evitar o estresse dos rebentos e, sobretudo, mantê-los em segurança?

Não se desespere, pois separamos alguns conselhos úteis a fim de tornar as obras menos traumáticas para quem tem filhos… Confira!

1. Faça um planejamento

Além do planejamento dos reparos residenciais, que tal fazer outro para a rotina da família? O objetivo é conciliar da melhor forma o dia a dia dos filhos e as atividades relativas a reforma. Quanto menos interferência entre os dois campos, melhor. 

Nesse planejamento, você deve incluir:

  • Horários determinados para início e final da obra;
  • Regras de segurança, como não mexer nas ferramentas dos empreiteiros;
  • Evitar a permanência nos locais que estão sendo reformados;
  • Separar um cômodo para servir de almoxarifado;
  • Listar os horários de fluxo dos integrantes da casa, evitando que coincida com entrega dos materiais, por exemplo.

E, neste plano, não poderia faltar o diálogo com as crianças. Explique que a colaboração deles é fundamental para o sucesso da reforma e faça com que também sintam-se responsáveis por ela.

2. Determine um horário para começar e terminar

Horários e obras são assuntos que, geralmente, entram em conflito. No entanto, é fundamental que as normas sejam rígidas: se a obra está marcada para as oito da manhã, não pode começar às nove. E para o término funciona a mesma regra. 

É partindo deste ponto que os pais e responsáveis poderão programar as atividades da casa, bem como os compromissos externos. Inclusive, é muito importante que as crianças aproveitem o intervalo para fazer atividades comprometidas pela reforma, como as lições escolares. E, mesmo que bata aquele cansaço, dedique um tempo aos filhotes.

3. Reserve um cômodo livre para as crianças

Deixar os pequenos correndo entre entulhos, aspirando poeira e atrapalhando o andamento dos trabalhos não é uma boa ideia. É prejudicial para a saúde, pode atrasar o serviço e gerar mais transtorno.

Mesmo que os reparos estendam-se a todos os espaços, mantenha um cômodo livre. Reserve-o para que as crianças fiquem lá a maior parte do tempo, seja assistindo TV ou brincando. Uma boa opção é separar os brinquedos preferidos e deixa-los nesse espaço! Garanta que o lugar esteja limpo e não ofereça risco à integridade de ninguém.  

4. Delegue pequenas tarefas

A maioria das crianças gosta de participar dos eventos, e adoram sentirem-se úteis. Então, por que não deixá-las fazer parte da obra? Envolvê-las em pequenas tarefas vai ocupar o tempo e evitar que observem a situação apenas pelo lado conturbado. 

Aqui, deixe fluir a criatividade: a prole pode pintar pequenos objetos, encaixotar os brinquedos, transportar caixas leves. Estimule a participação na escolha das cores, principalmente quando tratar-se dos cômodos pertencentes aos pimpolhos.

A intenção é demonstrar que, por mais complicada que seja toda essa mudança de rotina, no final será por um bom motivo.

5. Ofereça recompensas

Crianças adoram elogios e reconhecimento, então criar uma tabela de recompensas para as tarefas realizadas é uma boa ideia. 

Estipule regras de organização e comportamento a serem seguidas. No final da semana, quem acumular todos os pontos recebe algum prêmio. Você pode aproveitar a tabela para estimulá-los a ajudar nos serviços domésticos. Eis alguns exemplos de tarefas que podem entrar na lista:

  • Fazer a cama;
  • Ajudar na organização dos brinquedos e livros;
  • Guardar as roupas em caixas;
  • Dobrar as roupas limpas;
  • Organizar o quarto.

O mais interessante nesta metodologia é sua extensão para além da reforma. As crianças aprendem a participar dos serviços domésticos gradualmente, e quem ganha com isso é você.

6. Aproveite o horário da escola

Aproveite o período da escola para fazer trabalhos mais pesados: operar furadeiras, derrubar paredes, dentre outros serviços que podem causar estresse ou oferecer risco à segurança dos menores. 

Além disso, considere esse tempo para verificar o andamento da reforma! Com menos preocupações, você pode atentar-se aos detalhes do projeto de modo mais minucioso.

7. Evite acumular sujeira

No fim do dia, os trabalhadores devem retirar o máximo de sujeira e entulho. Combine com eles ou com a empresa de construção para que o canteiro seja entregue limpo no término do expediente. Deixe pás, sacos de lixo e vassoura à mão para facilitar o processo.

Coloque panos úmidos no vão das portas para evitar a entrada de poeira nos outros cômodos. 

8. Proteja-os da poeira

Se a poeira é um agente terrível para a saúde de qualquer pessoa adulta, para os pequeninos, então…

Fique de olho nos guarda-roupas: frestas e respiradores devem estar vedados para garantir a limpeza do interior. Utilize fita crepe (aquelas que não deixam resíduo de cola) para cantos de portas. Plásticos para cobrir armários e quadros. E, para os móveis fixos, lona grossa é uma boa opção.

Não se esqueça do corpo! Para as crianças e até mesmo os grandinhos: higienização com soro fisiológico pelo menos duas vezes ao dia. 

Lembre-se: as reformas não durarão para sempre, e precisamos delas para um lar com mais qualidade de vida, adequado às necessidades da família. Converse sobre isso com os membros da casa. Mostre que o sucesso de qualquer projeto depende da ajuda de todos.

Percebeu que dá para conciliar a reforma residencial com a permanência das crianças na casa? Basta colocar essas dicas em prática! E não esqueça de curtir a nossa página no Facebook para receber atualizações sobre reformas e construções.