A iluminação é essencial em uma casa, seja para realizar as tarefas do dia a dia, para os momentos de descanso e leitura ou para valorizar a decoração. Por isso é importante saber escolher os tipos de lâmpada ideais para cada função e clima que você quer dar ao ambiente.

O mercado está recheado de opções e preparamos este artigo para que saiba quais são as diferenças entre os modelos existentes e, então, possa decidir qual é o melhor para a sua casa ou projeto. Boa leitura!

Lâmpada incandescente

É a mais comum do mercado por ter baixo custo de compra. Está presente em diversos lares brasileiros, mas vem perdendo sua popularidade nos últimos anos, pois consome muita energia para pouca iluminação. Somente 5% da eletricidade utilizada por ela vira luz. O restante se transforma em calor.

Além disso, tem o menor tempo de vida útil do mercado, aproximadamente mil horas, mas não é raro queimar seu filamento antes disso por conta do superaquecimento. 

Devido ao fato de que a maioria das lâmpadas deste tipo possuem luz amarelada e, portanto, confortável à visão, é mais utilizada em abajures, luminárias de piso e spots. Como esquenta e tem baixa luminosidade, deixa o ambiente aconchegante e por isso é indicada para quartos.

Este tipo de lâmpada também está presente em versões pequenas no interior de fogões e geladeiras.

Lâmpada halógena

Semelhante à incandescente, ela também tem luz amarelada. Diferencia-se por possuir halógeno em seu bulbo. Outra diferença é que são mais eficientes porque o filamento é de tungstênio e normalmente envolvido por quartzo, ao contrário das comuns, nas quais esse filamento fica livre.

É indicada para dar destaque a obras de arte e outros objetos, pois tem bom direcionamento do facho de luz. Alguns modelos são coloridos e podem dar um efeito diferenciado a determinado ponto. 

É um pouco mais econômica do que a incandescente comum, pois recupera o calor liberado e, por isso, precisa de menos energia. Sua vida útil também é maior: dura cerca de 4 mil horas. 

Lâmpada fluorescente

A lâmpada fluorescente se popularizou na época do “apagão”, quando houve uma grave crise energética no Brasil. Isso porque tem alta eficiência, dura mais (aproximadamente 10 mil horas) e consome pouca energia. 

Substitui as lâmpadas incandescentes, podendo ser utilizada na iluminação em geral, em luminárias, spots, abajures, embutida em nichos etc. Encontra-se mais facilmente nas cores branca e azul, mas já existem amarelas também.

As tonalidades mais claras são perfeitas para iluminação de áreas de trabalho. Já as de luz amarelada combinam com quartos e salas, que devem ser mais aconchegantes. Para saber como comprar, verifique a unidade de medida Kelvin (K): quanto mais alta a temperatura de cor, mais clara sua tonalidade.

São apresentadas em três modelos: 

  • tubular: é aquele modelo mais antigo, usado em grandes escritórios e algumas cozinhas residenciais. Necessita de reatores eletrônicos externos e tem elevado tempo de vida: cerca de 12 mil horas;
  • compacta eletrônica: tem acendimento automático por conta do reator que já vem com a lâmpada;
  • compacta não integrada: não tem reator acoplado. Os dois modelos compactos podem chegar a 15 mil horas de uso.

LED

De longe a mais durável e de menos gasto de energia entre todas as opções apresentadas. Pode durar até 45 mil horas e consome cerca de 85% menos energia que a incandescente.

Embora tenha ganhado popularidade entre arquitetos, ainda não alcançou grande capilaridade por conta do valor de investimento, substancialmente mais alto que as concorrentes. O mercado, porém, vem evoluindo e apostando em LED como uma alternativa ecológica e econômica, já que, a longo prazo, a redução na conta de luz pode compensar o investimento. 

Existem em várias cores e não emitem calor. Podem ser usadas em spots no teto, arandelas, sobre bancadas etc. São mais recomendadas para salas, corredores e varandas. 

Ao optar pelas luzes LED, lembre-se que a potência (número de watts gastos) não é um parâmetro válido para escolha! Por exemplo: uma lâmpada incandescente gasta 40W para produzir 480 lúmens (unidade que mede os feixes de luz). Uma lâmpada LED atinge os mesmos 480 lúmens com uma potência de 7W: Portanto, antes de efetuar a compra, considere sempre a quantidade de lúmens produzidos.

Lâmpada de descarga (HID)

Funcionam com a condução da corrente elétrica por um meio gasoso. Possui baixo consumo energético e pode durar até 20 mil horas. É compacta, mas com uma luz bastante brilhante.

É mais utilizada em grandes áreas, como lojas, viadutos e galpões. Mas pode ser usada na área externa de casa, principalmente em uma quadra de esportes, caso possua.

Se diferem pelo tipo de gás usado: multivapores metálicos, vapor de sódio, vapor de mercúrio e lâmpadas mistas. 

  • Multivapores metálicos: têm alta eficiência e excelente reprodução de cores, longa durabilidade e baixa emissão de calor. Muito usadas em joalherias e concessionárias, mas podem ser colocadas em residências;
  • Vapor de sódio: ideal para áreas externas, a luz é branca-dourada brilhante. Projetada para usar em reatores de mercúrio, podendo substituir as lâmpadas com este elemento. Consome pouca energia, mas não tem boa reprodução de cores;
  • Vapor de mercúrio: a luz é branca-azulada, mas tem baixa eficiência energética. Usada mais em vias públicas e indústrias;
  • Lâmpadas mistas: combinam a lâmpada de vapor de mercúrio com a incandescente, o que resulta em uma luz branca. Vieram para substituir as incandescentes, pois têm maior eficiência, não necessitam de reatores e possuem vida útil oito vezes maior.

Se você precisa que as cores fiquem vivas e com bastante precisão, o ideal é usar lâmpadas halógenas, por exemplo. Mas se o consumo de energia é o que conta mais, é melhor investir em LED. Se, ainda assim, o custo inicial é um fator de alto impacto para o seu bolso, opte pelas fluorescentes. Você também pode usar tipos diferentes em todos os ambientes da casa, dependendo do tempo que a luz ficará acessa em cada um deles. 

Esperamos que este artigo tenha colaborado para tirar todas as suas dúvidas sobre os tipos de lâmpada que existem no mercado. Se você gostou das nossas dicas, aproveite para assinar a nossa newsletter e ficar bem-informado a respeito de reforma e decoração.