Versátil, aconchegante e resistente. Não restam dúvidas quanto a essas três características que resumem o potencial da madeira. É por isso que, além de aparecer em pisos e revestimentos, ela também virou tendência como acabamento de tetos. Mas você sabe quais são os principais tipos de forro de madeira?

Alguns se destacam pela estética, outros pela durabilidade. Entretanto, os cuidados com a instalação e manutenção deverão ser os mesmos, independentemente da variedade da madeira escolhida. Só assim será possível garantir o melhor resultado na composição, aliando requinte e funcionalidade no décor.

Quer saber mais? Então acompanhe o post e invista sem medo nos forros amadeirados!

Quais são os principais tipos de forro de madeira?

A versatilidade da madeira é o que permite brincar com diferentes estilos de decoração nos cômodos, visto que o material harmoniza muito bem com composições mais rústicas ou modernas.

Listamos os tipos de forro de madeira mais comuns no design de interiores para que você possa escolher aquele que melhor atende suas necessidades e que combine com a atmosfera da sua casa:

Angelim

De coloração mais clara, que tende ao marrom suave, a espécie angelim é muito utilizada em projetos de proposta rústica. Isso porque os nós que caracterizam a aparência desse tipo de madeira evidenciam as marcas naturais do material, levando ares de natureza para dentro de casa.

Cedro

O cedro (ou cedrinho) apresenta tonalidade levemente avermelhada, podendo ser instalado em seu tom original ou, ainda, com uma camada de verniz incolor para diferenciar a composição. Além da estética característica, essa madeira também é bastante utilizada devido à facilidade de lixamento e corte que torna a instalação mais prática e rápida.

Pinus

Se você quer investir nos forros de madeira, mas ainda está em dúvida quanto ao resultado, escolha a espécie pinus. Não é à toa que é o tipo mais utilizado quando o assunto é acabamento amadeirado, já que sai ganhando por sua durabilidade e preço acessível. Ou seja, o custo-benefício é garantido.

Eucalipto

Madeira típica de reflorestamento, o eucalipto também tem preço acessível e pode ser facilmente encontrado. Devido às tonalidades claras, cai bem em decorações mais suaves e minimalistas, ideais para quem quer valorizar a uniformidade do décor.

Ipê

Pela variedade das espécies, é muito comum encontrar forros mesclados com diferentes madeiras de ipê. O resultado é belíssimo: traz bastante personalidade e estilo para o design da casa sem abrir mão da resistência do material.

Cumaru

O aspecto fibroso da espécie cumaru é o que a torna outra opção muito original para a composição de vários tipos de forro de madeira. A cor também pode variar, mas sempre apresenta subtons claros, como castanho com fundo sutilmente amarelado.

Como fazer a instalação dos forros?

A instalação é simples, porém, por se tratar de um material delicado e de origem nobre, são necessários cuidados específicos. O primeiro deles está relacionado à contratação de mão de obra especializada para assegurar o encaixe perfeito das peças e a qualidade do serviço.

O segundo ponto tem a ver com o fornecimento do material, já que é preciso ter certeza de que estará adquirindo madeiras de boa procedência. A partir daí, o processo se dará conforme o desenho arquitetônico da residência e o estilo de decoração que você deseja.

O mais comum é que as ripas sejam encaixadas entre si, no modelo macho/fêmea, e presas individualmente com um clipe. Elas podem ser instaladas na posição vertical, horizontal ou até diagonal, criando diferentes traçados na decoração do teto.

Existem propostas de forros fixos e removíveis, sendo estes os mais indicados. Dessa forma, caso seja necessário fazer uma manutenção mais criteriosa, a possibilidade de retirar as peças vai facilitar o serviço.

Os forros de madeira vão muito bem na decoração das áreas sociais da casa, como living e sala de jantar. Nas áreas íntimas, como os dormitórios, eles trazem aquela atmosfera de relaxamento ideal para a proposta do cômodo.

Contudo, nos locais úmidos — banheiro, cozinha ou ambiente externo — a instalação requer cuidados extras de manutenção. Nesses casos, o mais indicado é utilizar tintas específicas para pintar o forro, além de produtos impermeabilizantes e com ação anti-pragas — que já são pré-requisitos em qualquer acabamento de madeira.

Quais são as vantagens dos forros de madeira?

Estética

O apelo estético é indiscutível. Afinal, não tem como uma decoração de madeira passar despercebida, sem falar nas sensações de aconchego e acolhimento transmitidas pelo material. Outra vantagem estética dos revestimentos amadeirados é que eles são atemporais, ou seja, preservam sua elegância em qualquer época.

Durabilidade

Por ser um material de origem nobre e natural, a madeira tem a durabilidade e a resistência como características de destaque. Nessas horas é que paramos para avaliar o custo-benefício da instalação, e aí percebemos que vale a pena investir: o preço pode até ser mais elevado, mas a vida útil compensa.

Isolamento termoacústico

Sempre que falamos em madeira destacamos o aconchego do material. É que, além do visual característico, existem fatores técnicos que também contribuem para reforçar as sensações de acolhimento da composição.

O conforto termoacústico dos revestimentos amadeirados é um desses fatores. Ele é assegurado pelas propriedades do material, que controlam a reverberação dos sons e ajudam a regular a temperatura da casa, mantendo-a quentinha no inverno e fresca no verão.

Quais são as desvantagens?

Incidência de pragas

Infelizmente, não dá para negar que as madeiras são mais suscetíveis à ação de pragas como fungos e cupins. Por isso, é muito importante fazer a manutenção correta desse tipo de revestimento, sobretudo de forma preventiva.

Umidade

Quando instalados em locais com foco de umidade, os forros de madeira ficarão ainda mais sujeitos à ação das pragas. Mas isso não quer dizer que é proibido utilizar acabamentos amadeirados nesses locais. A ressalva é que você terá que se dedicar mais à manutenção das peças, além de investir em tratamento específico para ambientes úmidos.

Manutenção

Como vimos, as desvantagens culminam na manutenção da madeira, que é mais criteriosa em comparação a outros tipos de acabamento. Porém, contando com fornecedores especializados você dará um passo à frente na conservação do revestimento. Isso porque, além da garantia de origem, o material virá previamente tratado de fábrica.

Dessa forma, após a instalação você terá apenas que se planejar para fazer manutenções periódicas nas peças, reforçando a prevenção contra pragas ou tratando uma eventual contaminação. Nesse sentido, saiba que as madeiras de cedro, ipê e cumaru tendem a ser mais fáceis de manter porque retêm menos umidade.

Agora que você já sabe tudo sobre os tipos de forro de madeira, é só escolher seu modelo preferido. Com tantas opções, com certeza encontrará uma espécie com a tonalidade ou textura desejada para dar aquele up no décor!

As informações do artigo sanaram suas dúvidas? Aproveite para assinar a nossa newsletter e acompanhar outros conteúdos com tendências para casa e construção!