Verdade seja dita: um dos benefícios mais adoráveis que a ciência nos forneceu foi água quentinha ao alcance das mãos. Afinal, nada melhor do que contar com os valiosos aquecedores de água ao tomar aquele banho delicioso, não é mesmo? Mas para usufruir dessa comodidade, é preciso escolher um aparelho que deixe a água na temperatura desejada.

Está construindo ou reformando e deseja saber qual tipo é o ideal para sua casa? Então continue a leitura deste artigo e descubra tudo o que você precisa saber sobre aquecedores de água.

Por que instalar um aquecedor de água?

Os aquecedores domésticos suprem nossa necessidade por água quente em seus usos diversos, seja para duchas, banheiras, torneiras de cozinha e de banheiro, máquinas de lavar, entre outros. É difícil imaginar um banho frio durante o inverno, não é? Da mesma forma, a água quente pode ajudar muito na limpeza de louças e roupas, servindo inclusive para acelerar o preparo de alimentos.

Além disso, o uso de aquecedores a gás pode ajudar a economizar, pois a conta de gás ainda é mais barata que a de energia elétrica. 

Contudo, dependendo do modelo, é preciso estruturar a residência para que comporte o sistema de aquecimento. Por isso, o melhor momento para escolher o seu sistema de água quente é, sem dúvidas, durante o projeto. Assim, é possível projetar os encanamentos necessários para água fria e quente, a localização da caixa d’água, do reservatório e do aquecedor, bem como escolher as melhores torneiras e chuveiros para cada sistema.

As 3 formas de tornar a água quentinha

Existem basicamente três métodos que distinguem o funcionamento dos aparelhos. São eles:

Aquecedores de passagem

Nesses casos, a água é aquecida dentro do aparelho momentos antes de ser utilizada e, depois, segue por uma tubulação até o chuveiro ou a torneira. Porém, como o aquecimento só começa durante o uso, é normal que leve um tempo até que o líquido quente chegue, pois é preciso expelir primeiro toda a água fria que estava na tubulação.

Além disso, esses produtos não possuem grande potência, atendendo um número limitado de pontos. 

Vantagem: os aquecedores de passagem são mais econômicos, pois são acionados automaticamente apenas nos momentos de uso.

Aquecedores por acumulação 

Esse modelo ocupa mais espaço que o anterior já que apresenta um reservatório – chamado de boyler – onde a água fica mantida para o aquecimento. O boyler é encontrado em variados tamanhos, dependendo da necessidade específica de cada projeto. Então, o líquido chega ao reservatório onde será aquecido e permanecerá até o uso.

Como a água fica acumulada em um reservatório, pode atender a diversos pontos de ao mesmo tempo ou pontos de grande demanda, como uma banheira. 

Vantagem: a água já estará quente quando a torneira ou o chuveiro forem acionados, portanto, permite uso instantâneo.

Aquecedores localizados

Aplicados de maneira específica, são instalados ponto a ponto onde a água quente será dispensada. Assim, é preciso colocar um aquecedor em cada torneira, por exemplo, e em todos os demais pontos em que deseja-se aquecimento. O chuveiro elétrico é o exemplo mais conhecido de aquecedor localizado.

Vantagem: a água é aquecida diretamente onde for necessária, dispensando uso de tubulação específica para água quente. Além disso, evita-se a perda de calor durante o trajeto.

Os diferentes modelos de aquecedores de água

Atualmente, existem diversos modelos de aquecedores que se adaptam à diferentes fontes de energia. 

Aquecedores elétricos

Disponíveis tanto na versão de acumulação quanto de passagem, é o tipo de aquecedor mais comum, encontrado nos famosos chuveiros elétricos. Os modelos de passagem são baratos, de fácil instalação e dispensam necessidade de uma tubulação própria para água quente, porém são menos eficazes que os modelos de acumulação. 

Por suas características de funcionamento, esse sistema tem elevado gasto de energia e depende das condições climáticas para serem mais ou menos eficientes — em dias frios, é normal que a água aqueça menos. 

Aquecedores à gás

Funcionam com a queima de gás natural, encontrado nas cidades que contam com gás encanado ou com GLP (gás liquefeito do petróleo), de uso mais comum e armazenado em botijões. Como possui essa variedade, é importante que seja verificado qual será o tipo de gás utilizado antes da compra do aparelho, para que não se instale um modelo incompatível.

Existem aparelhos a gás na variedade de passagem e também por acumulação. O investimento inicial de um sistema à gás é maior, porém justifica-se pelo aumentado custo-benefício ao longo do tempo.

Aquecedores solares

Funcionam com lógica similar aos modelos elétricos, mas são capazes de produzir sua própria energia. Para isso, os aquecedores solares possuem placas fotovoltaicas  instaladas em áreas de insolação, como o telhado, e acumulam energia que é utilizada para aquecer a água depositada em um cilindro de acumulação. Dentro do cilindro, há uma resistência, como um chuveiro. O líquido aquecido então segue pela tubulação até os pontos de uso.

Lembrando que o custo de instalação de um aquecedor solar é bem mais alto em relação aos demais tipos. Todavia, além da economia em energia elétrica ou gás, é a solução mais sustentável em aquecedores de água. 

Qual é o melhor modelo?

É difícil eleger o melhor aquecedor devido às diferenças marcantes entre os diversos modelos. Cada um deles apresenta vantagens e desvantagens, sendo indicados para diferentes perfis de consumidor.

Nesse sentido, destacamos que o aquecedor solar atende com louvor aquele público com preocupação ecológica, embora seja também o mais caro. Aquecedores a gás são mais econômicos que seus parentes elétricos. O último, por sua vez, sai-se melhor no quesito manutenção pela facilidade e praticidade em ter peças substituídas.

Ainda sobre os sistemas de aquecimento a gás e solar, apesar da menor recorrência, é preciso chamar um técnico especializado sempre quando surgirem necessidades de ajuste. 

Agora que você já conhece os diferentes tipos de aquecedores de água, temos a certeza de que tomará a melhor decisão na hora de instalar um sistema em sua casa. E já que o momento é de descobertas, que tal aproveitar para aprender um pouco mais sobre as possibilidades quando o assunto é caixa d’água? Vale a leitura!