A lista de material de construção parece simples, mas é cheia de armadilhas: quem não fica atento, pode senti-la pesar no bolso. Mesmo assim, ela é indispensável em qualquer tipo de obra — seja para uma pequena reforma residencial, seja para levantar um prédio.

Por mais que se tenha em mente todos os materiais essenciais, colocá-los no papel é essencial para não sofrer com o desperdício nem cair no prejuízo. Afinal, com tantos itens necessários, como organizá-los corretamente na lista sem se esquecer de nada? Acompanhe o post e descubra!

Divida a lista por tipos de materiais

A depender do projeto, a lista de materiais de construção varia bastante. Por isso, o ideal é se reunir com os responsáveis pela obra — engenheiro, arquiteto ou pedreiro — para saber ao certo o que priorizar. Afinal, não adianta comprar os acabamentos da obra se ela ainda estiver na fase estrutural.

Se for uma reforma pequena, é possível fazer a lista toda de uma vez. Em projetos maiores, no entanto, o melhor a fazer é dividi-la conforme as fases do serviço. A seguir, apresentamos um cronograma de cada etapa para ajudá-lo a fazer essa divisão. Confira!

Estrutura

A estrutura da obra é composta basicamente pelo conjunto da fundação, com pilares, vigas e lajes. Nessa fase, os principais materiais a considerar são cimento, areia, brita, vergalhões, pregos, escoras e outros elementos pertinentes à estruturação do imóvel.

Alvenaria

É nessa etapa que as paredes são levantadas e a propriedade começa a ganhar forma. Por isso, é preciso investir principalmente em materiais como cimento, graute, blocos de concreto, tijolos, tubos de PVC, conduítes, fiação, quadros de distribuição, caixas de luz e argamassa para chapisco, emboço e reboco.

Cobertura

O telhamento e o sistema de captação de água são os principais componentes da etapa de cobertura da obra. Para a execução dessas tarefas, são necessárias telhas, madeira, vigões, calhas, rufos, caibros, manta térmica, caixa d’água e afins.

Acabamento

Para muitos, essa é a etapa mais prazerosa de uma reforma ou construção. Afinal, é quando se pode caprichar na escolha dos itens que vão embelezar o lar. Por isso, é comum dizer que a lista de material de construção para acabamentos não tem fim!

Então, é preciso investir em pisos, azulejos, revestimentos para parede e forro, tintas (para pintura interna e externa), portas e janelas, louças sanitárias, interruptores e tudo o mais que for necessário para dar o toque final na residência. Mobiliário e decoração podem entrar nessa lista, caso se queira deixar o imóvel já pronto para morar.

Calcule a quantidade necessária

Dividir os materiais conforme as etapas da obra é uma ótima estratégia para não se perder na lista. Sem dúvida, porém, a melhor dica é calcular a quantidade exata de material necessária em cada etapa, de acordo com o planejamento do projeto.

Nesse momento, a participação dos profissionais responsáveis pela obra tem ainda mais importância, já que são eles que sabem quanto material é necessário para cada tarefa. Mesmo que você tenha uma ideia geral sobre o assunto, quem de fato vai fazer o trabalho são eles.

Mesmo assim, por mais que haja um planejamento conjunto, nunca se está livre do risco de sobrar material. Pode acontecer um imprevisto ou, então, você decidir que quer alterar algo no projeto com a obra já em andamento. E isso é normal.

De certa forma, os profissionais entendem esse aspecto. Isso, claro, desde que não sejam mudanças bruscas que alterem significativamente a lista de materiais e causem prejuízo tanto para a mão de obra quanto para o seu próprio bolso.

De qualquer modo, mesmo quando se considera essa margem de materiais excedentes, vale destacar a importância de armazená-los de forma correta para que possam ser reaproveitados em reformas futuras. Itens como telhas, tijolos, blocos de concreto, tubos de PVC e outros podem ser úteis no futuro.

Em certos casos — como pisos e azulejos, por exemplo —, uma leve sobressalência é até recomendada. Assim, caso alguma peça quebre ou se desgaste com o tempo, tem-se uma substituta à mão, sem precisar procurar pelo mesmo lote do produto na loja.

Saiba exatamente quanto pretende gastar

Sempre que se fala em material de construção, por mais simples que seja o serviço, o planejamento deve ser a palavra de ordem. Em termos mais práticos, isso significa estudar o projeto da elaboração da planta aos acabamentos, passando pela estruturação, que está diretamente relacionada ao padrão de segurança da obra.

Esse planejamento é o que vai permitir saber quanto se vai gastar em todo o processo. Nesse sentido, planejar-se significa definir um orçamento-base para não se perder em meio a tanta informação.

Quando se sabe ao certo quanto se pretende gastar, é possível estabelecer quais são as prioridades da obra e quais materiais realmente devem estar na lista. Assim, é mais fácil dispensar os itens supérfluos ou aqueles que se pretendia comprar em quantidade extra.

Organize a lista em uma planilha

O poder da tecnologia é indiscutível e pode ajudar bastante esse processo. Usar um programa de planilhas, como o Excel ou o LibreOffice, pode fazer toda a diferença no planejamento e na organização da lista de compras. Existem até planilhas de materiais de construção já prontas on-line e disponíveis para download.

Uma tabela como essa pode ajudá-lo a administrar tudo de forma prática e inteligente. Além disso, ela vai indicar a previsão de custos conforme a quantidade de material necessário, por exemplo. Dessa maneira, o processo de cálculo fica mais ágil e evita o risco de extrapolar o orçamento.

Além de especificar os materiais, as quantidades e os preços, pode-se dividir a planilha de acordo com as fases da obra, de forma a facilitar o gerenciamento de cada etapa. Aí, com a lista pronta e o cronograma detalhado, é só ir até a loja física e comprar o que precisa  assim, poupa-se tempo e evita-se o desperdício. Que tal?

Aproveite que já está no clima e continue conosco. Aqui no blog, você pode ler mais sobre como armazenar corretamente os materiais de construção! Boa leitura!