Não basta ter um quarto confortável e bem decorado. A funcionalidade e a organização dos quartos também são aspectos fundamentais para o ambiente ficar completo, a começar pelo tipo de guarda-roupas. Afinal, é muito chato perder aqueles minutos preciosos todo dia enquanto procura uma roupa para se vestir, não é mesmo?

Para não se estressar com isso logo cedo, é preciso escolher um guarda-roupas que se adapte bem ao espaço disponível e que atenda à sua rotina e necessidades diárias. Por exemplo: se o quarto é grande o suficiente para abrigar um closet, essa pode ser a melhor alternativa de armazenagem das peças.

Por outro lado, se o dormitório tem dimensões menores ou se você é adepto da tendência minimalista, é provável que uma simples arara cumpra com maestria a função de guardar e organizar as suas roupas.

Neste post, descrevemos as particularidades de cada tipo de guarda-roupas para ajudar você a fazer a escolha certa. Acompanhe!

Guarda-roupas convencional

Eles nunca saem de moda. Os guarda-roupas convencionais, com portas e gavetas, são os modelos mais clássicos e comuns na hora de escolher um móvel para guardar as vestimentas.

As maiores vantagens dessa escolha são o preço acessível, a disponibilidade de cores e a facilidade de mudá-lo de lugar na composição do décor. Além disso, as roupas ficam sempre protegidas e livres de poeira.

A desvantagem fica por conta da padronização da fábrica, visto que os acabamentos e a posição das divisórias já estarão definidos conforme os materiais e medidas pré-fabricadas. Isso impede que você aproveite o espaço a seu modo, como no caso de o guarda-roupas ter mais gavetas ou um espaçamento diferente entre as divisórias, por exemplo.

Armários embutidos

Nesse tipo de armário as roupas também estarão devidamente protegidas. A ressalva é quanto ao posicionamento do móvel: a instalação ocupa um local fixo e, portanto, não será possível remanejá-lo de lugar caso você deseje mudar a decoração do quarto.

Porém, as vantagens dos armários embutidos compensam essa ressalva, já que eles aproveitam o espaço de forma inteligente e, muitas vezes, sob medida. Assim, você garante que ele se encaixará perfeitamente no local escolhido sem comprometer a circulação no ambiente.

Mas atenção: antes de projetá-lo é preciso saber com exatidão a metragem disponível e os padrões que você quer para o móvel: tamanho, formato, cabideiros, divisórias etc. Por isso, se você pretende apostar nesse segmento, saiba que será necessário contar com profissionais especializados para fazer o projeto e a instalação, o que torna essa escolha um pouco mais cara.

Closets

Como sabemos, a palavra closet vem do inglês e remete a um local fechado. Ou seja, o closet nada mais é do que um cômodo sem janelas, projetado exclusivamente para abrigar as roupas. Isso evita que o quarto fique bagunçado ou sobrecarregado.

Quem escolhe essa opção precisa ter espaço suficiente no dormitório para garantir que o conforto não será prejudicado. Até porque de nada adianta ter um closet superbonito e espaçoso se isso for comprometer a arquitetura e a funcionalidade do quarto, certo?

Resolvida essa questão, vamos à disposição da área: antes de projetar o closet, recomenda-se que você tenha em mente o volume de roupas, sapatos e acessórios que pretende guarda lá.

A partir daí, é possível pensar em uma quantidade de cabideiros, nichos e prateleiras ideal para as suas necessidades. Assim, cada item terá seu devido lugar no closet, o que diminui de forma considerável aquele temido risco da bagunça.

Inclusive, saiba que se você bagunçar o closet, terá muito mais trabalho do que nos outros tipos de guarda-roupas. Isso porque, sendo esse um local fechado e normalmente sem iluminação natural, a chance de as peças amontoadas mofarem é muito maior.

Araras

Quando falamos em roupas expostas em araras a primeira coisa que vem à cabeça são as famosas boutiques, certo? Errado! Foi-se o tempo em que esses itens eram exclusividade das lojas de roupas. Agora, as araras já se tornaram verdadeiras tendências decorativas também nos projetos de quartos modernos, arrojados e personalizados.

Se, por um lado, as araras dão aquele toque original no dormitório e deixam suas roupas sempre à mão, por outro, elas perdem um pouco em praticidade — devido ao fato de as peças ficarem mais suscetíveis à poeira, umidade etc.

Por isso, quem opta por essa alternativa, costuma proteger as vestimentas com capas para que não se sujem facilmente, além de aproveitar a parte de baixo do móvel com caixas organizadoras para abrigar aqueles itens que não estarão dependurados, como sapatos e acessórios.

Qualquer que seja o tipo de guarda-roupas, organize!

Independentemente da opção que você escolher, é essencial manter o local organizado. E isso é válido não somente pela questão estética, mas, também, para garantir a máxima funcionalidade do móvel, poupando seu tempo na hora de se vestir. Aí vão algumas regrinhas básicas para te ajudar nessa tarefa:

Coloque os cabides na mesma direção

A organização do guarda-roupas começa pelos cabides. Colocando todos eles com os ganchos virados para a mesma direção (de preferência para dentro), fica muito mais fácil visualizar a disposição das roupas e encontrar aquela peça específica. Visualmente, o resultado também fica melhor, sobretudo se os cabides estiverem padronizados com a mesma cor e material.

Organize as peças por cor e modelo

Primeiramente, separe suas roupas em padrões que fazem sentido para você: calças, blusas, casacos, vestidos etc. Depois, faça subdivisões conforme as tonalidades das peças. Pode até parecer bobagem ou mania de organização.

Mas pode apostar: esse é o jeito mais prático e rápido de você encontrar o que precisa. Sabe aquela camisa preta que você adora? Pois é. Basta ir até a pilha de cores escuras e com certeza ela estará lá!

Separe os sapatos por tipo

Abertos, fechados; de salto, sem salto; sandálias, tênis, chinelos… Assim como na dica anterior, estabeleça um padrão para organizar os sapatos de acordo com o modelo e de maneira que eles atendam bem às suas necessidades.

E lembre-se: os sapatos da estação ou aqueles que você utiliza com mais frequência, devem estar sempre mais acessíveis. E nunca guarde os pares molhados ou sujos. Caso contrário, eles mofarão dentro do guarda-roupas e aí será muito mais difícil limpá-los.

Viu só? Não tem mistério! Com todas essas dicas sobre que tipo de guarda-roupas escolher e como organizá-lo, esperamos ter ajudado a fazer a melhor escolha.

Se esse conteúdo foi útil para você, curta nossa página no Facebook e fique por dentro de outras dicas para facilitar o seu dia a dia!